sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Temas das Aventuras de Espada & Feitiçaria

Os livretos do Crônicas de Bruxos & Bárbaros para o DCC RPG trarão diversas ferramentas, recursos e conteúdos para juízes que queiram conduzir campanhas de Espada e Feitiçaria com este RPG, que por si só já se comportar muito bem neste tipo de cenário. Além de trazer algumas regras modificadas, algumas adições interessantes que se prestam a capturar de maneira mais precisa o clima destas histórias, nosso objetivo também é apresentar alguns elementos que tornem mais claramente distintas as aventuras neste tipo de cenário para os cenários mais tradicionais de fantasia.

É claro que o objetivo do Crônicas de Bruxos & Bárbaros não é fazer uma tratado ou monografia sobre o assunto, mas apenas fazer uma introdução e oferecer alguns elementos e dicas para que os jogadores possam diferenciar mais facilmente seus jogos neste estilo singular. Para tanto, vamos fazer duas cosias bem simples. Primeiramente vamos tentar achar uma definição simples e introdutória para o termos Espada & Feitiçaria e, após, oferecer 10 elementos temas chaves que consideramos importantes paras as aventuras neste estilo de jogo.

O que é Espada & Feitiçaria?

Espada e Feitiçaria é um gênero narrativo característico dos anos de 1930, marcado por histórias de fantasia em um mundo antigo e decadente, onde grandes impérios existiram no passado, mas caíram em ruínas. Desastres e cataclismas podem ter ocorrido e, no tempo atual, as civilizações são apenas uma sombra do que um dia já foram. O contraste entre a civilização e a selvageria é um tema constante nessas histórias.

Os protagonistas são, tipicamente, aventureiros que saem em busca de glória, ouro, tesouros antigos, poder, fama, mulheres e outros objetivos de cunho mais pessoais. Eles dificilmente são heróis no sentido de querer fazer o bem a quem precisa, embora o acabem fazendo, muitas vezes, indiretamente.

Muitas de suas aventuras acabam colocando‐os frente a frente com coisas estranhas, fantásticas, e terríveis, que não são tão comuns como em outros gêneros de fantasia. Não há elfos em cada floresta, nem anões em todas as montanhas. Dragões e outros monstros são criaturas lendárias e, provavelmente, únicas. A magia é temida, respeitada e odiada pela maioria das culturas humanas, ou tida como superstição até que se prove o contrário. O aço de uma espada e a coragem no coração é tudo que um homem precisa para forjar seu destino.

Os antagonistas desses personagens são em sua maioria bandidos, piratas, cultistas, e outros aventureiros. Ocasionalmente eles enfrentam versões fantásticas de criaturas mais comuns, como serpentes gigantes, dinossauros e outras coisas. No entanto, muitas vezes, por trás de tudo isso, está algum bruxo sinistro, um Deus antigo terrível, outros seres sobrenaturais indescritíveis, ou até mesmo criaturas de outros mundos e dimensões!

Anttelius, o mundo que será apresentado no Volume II, é um mundo de Espada e Feitiçaria. Sua história é antiga e cheia de mistérios e segredos que os homens atuais desconhecem para seu próprio bem. Impérios antigos dominaram diversas regiões do mundo conhecido, enquanto outras continuam virgem da presença humana desde a criação do mundo por qualquer que seja a força que o forjou do nada. Hoje, Cidades‐Estados decadentes brilham como uma luz de vela fraca nas escuridão das áreas selvagens do mundo, e homens e mulheres, sejam eles guerreiros corajosos, ladrões ardilosos ou feiticeiros terríveis, buscam seu destino da melhor maneira que podem.

10 Características dos Mundos de Espada & Feitiçaria

Os mundos são antigo...
Normalmente, os mundos de Espada & Feitiçarioa são muito antigos, existindo há milhares e milhares de anos. Diversas civilizações nasceram, cresceram e ruíram sobre o sol que banha aqueles mundos. Antes dos homens e seus impérios que dominaram grande parte destes mundos, outros seres inumanos, e suas sociedades estranhas, tinham domínio sobre eles. Sendo assim, diversas ruínas podem ser vistas espalhadas pelos mundos, e outras ainda permanecem escondidas dos olhos mortais. Muitas das atuais Cidades-Estados são, inclusive, construídas sobre as ruínas de antigas comunidades. Apesar disso, a história das Eras passadas não é conhecida por quase ninguém. Nem mesmo os sábios, estudiosos e mais antigos feiticeiros conhecem todos os ocorridos, tendo acesso apenas à fragmentos históricos do que aconteceu. Lendas, rumores e mentiras reinam.

… Com sociedades decadentes!
As sociedades que imperam nos dias atuais vivem sobre sombras da glória e da riqueza daquelas de outrora. Grandes impérios e civilizações desapareceram por diversas razões (muitas desconhecidas) para dar lugar a um mundo decadente. Os homens de hoje não dominam os segredos e as técnicas de antigamente, se limitando a apenas reproduzir aquilo que conseguem e tentar conservar aquilo que veio do passado. A produção cultural e de conhecimento praticamente é nula, e alguns povos se contentam a viver apenas para saciar seus desejos mais primitivos e luxoriosos, custando o que custar.

Cheio de selvageria...
Estes também são mundos selvagens, onde diversas e grandes áreas estão longe do domínio humano. Regiões longe das Cidades-Estados ainda permanecem largamente inexploradas, com promessas de grandes descobertas, riquezas, e aventuras. Bestas terríveis e gigantescas vagam pelas florestas, selvas, desertos, e outros ambientes. Seres pré-históricos, de eras passadas, se recusam a desaparecer. Poucos são aqueles que se arriscam além da ilusão de segurança promovida pelas Cidade-Estados dos homens, e muitos dos que saem não retornam. Os selvagens que vivem nestes locais são retratados tanto como canibais e bestas humanas, como nobres selvagens, com mais honra e decência que os homens das cidades.

… e Brutalidade.
Além de decadentes, os povos destes mundos são brutais e selvagens. A escravidão é uma prática comum na maioria das sociedades, com vidas humanas sendo valoradas da mesma forma que uma espada de ferro (às vezes, em valores inferiores). Mercenários, piratas e bando de selvagens vagam pelas áreas não civilizadas em busca de vítimas para serem vendidas nos mercados de escravos nas Cidades-Estados. Arenas de gladiadores divertem e fazem o povo presenciar violentas batalhas em um espetáculo grotesco para demonstrar o poder das classes mais altas sobre as mais baixas. As leis, quando existentes, são aplicadas somente no interesse das classes dominantes e geralmente resultam em punições brutais e sanguinárias. De maneira geral, o homem comum deve decidir entre viver em relativa segurança nas injustas e brutais cidades, ou se arriscar às bestas e selvagens fora dos muros. Para completar, as diversas culturas de homens tendem a ver seus irmãos de outras etnias como pouco mais que animais (e em alguns casos, inferiores a certas criaturas).

Existem Deuses e Demônios...
Nestes mundos, diversos seres não humanos fazem valer suas vontades de diversas maneiras diferentes. Deuses, sejam eles de qualquer origem, panteão ou credo; Demônios, originários do Abismo, um reino escuro e sinistro ligado a todos os outros pelas sombras; e outras entidades extra-planares, se comunicam com esses mundos por razões incompreensíveis pelos mortais. Assim, às vezes, mesmo que sem perceber, os interesses e objetivos desses seres interferem com a vida dos homens destes mundos. Todos aqueles que, de alguma forma, tem contato com magia e forças sobrenaturais acabam tendo contato com essas forças, já que uma coisa não existiria sem a outra. Há também, muitas falsas religiões e cultos, que se utilizam da crença e superstição dos homens para alcançar seus próprios objetivos.

... e a magia é inumana!
A arte da feitiçaria surgiu milhares de anos antes dos seres humanos se separarem de seus antepassados primatas. Seres alienígenas e antigos manipulavam energias estranhas oriundas de diversas fontes e as moldavam de acordo com suas vontades. Como e quando os homens tomaram conhecimento dessa arte e de como utiliza-la é incerto, mas o que se pode facilmente constatar, é que eles jamais deveriam ter entrado em contato com ela. Mortais não conseguem manipular as energias mágicas com perfeição e total compreensão. Eles se limitam, em sua imensa maioria, em reproduzir imperfeitamente rituais e fórmulas descobertas no passado, às vezes com efeitos satisfatórios, mas algumas vezes resultando em catástrofes, mortes, e perda de suas almas. No entanto, isso não impede os mais ambiciosos feiticeiros e bruxos em buscar poder e conhecimentos, mesmo que isso lhes custe a própria alma.

O conhecimento foi perdido...
A história destes mundos, as descobertas do passado, o conhecimento sobre o natural e o sobrenatural são privilégio de poucos, muito poucos. A simples alfabetização é privilégio de apenas uma parcela pequena da população, e o conhecimento de matemática e outras ciências é tão raro quanto diamantes. O aprendizado é um privilégio para poucos, custa muito caro, e é preciso achar alguém capaz de transmiti-lo. Existem alguma ordens de sábios (embora poucas) em algumas Cidades-Estados, mas que costumam guardar seus tomos antigos como uma grande serpente guarda seus tesouros, fazendo o acesso a essas relíquias custar caro. Não existe, também, um registro sobre os tipos de monstros, criaturas e outras coisas estranhas existentes pelo mundo, mas nada impede os personagens de entrarem em contato com lendas e rumores sobre essas coisas.

… Entre segredos e mistérios.
Ruínas antigas com escritas indecifráveis, construções que nenhuma raça mortal seria capaz de erguer, estátuas gigantescas com aparência inumana, e diversas outras coisas se mostram como verdadeiros mistérios para a compreensão do homem nestes mundos. Muito do que aconteceu e ainda acontece pelo mundo não possui uma explicação clara, e diversas lendas e rumores são criadas e repetidas na tentativa quase infantil de compreendê-las. Aqueles, então, que resolvem se aventurar pelas antigas ruínas e lugares inexplorados entram em contato diariamente com os segredos e mistérios do mundo, quer suas mentes mortais suportem vislumbrá-los ou não.

O fantástico é raro e terrível...
Feitiçaria, Monstros, Demônios, e outras criaturas, objetos e coisas não naturais são raras e temidas pela maioria dos mortais. Uma pessoa comum não tem a menor ideia da natureza, hábitos e possíveis poderes e habilidades de uma criatura monstruosa e, provavelmente, querem continuar sem saber. Artefatos mágicos são raros, valiosos, e de dificílima produção, sendo raramente vendidos como outros objetos comuns. Aqueles capazes de conjurar feitiços ou milagres são vistos com respeito e receio pelo homem comum. De maneira geral, a raça humana prefere ficar distante daquilo que suas mentes limitadas não conseguem explicar e, muitas vezes, prefere acreditar que essas coisas não existem.

… Assim como heróis.
Aqueles dispostos a arriscar seus corpos, suas mentes, e suas almas pelo mundo em busca de glória, poder, conhecimento e riquezas são raros de se encontrar. A maioria dos homens e mulheres preferem viver sobre a proteção das muralhas das Cidades-Estados, ainda que sobre a tirania de despostas e injustiças das classes dominantes, a arriscar suas vidas em uma vida de aventuras que provavelmente os levará à morte ou coisa pior. Além disso, poucos tem a capacidade e o talento para aprender os ofícios e habilidades necessárias para essas empreitadas. Aqueles capazes de sentir as energias mágicas ao seu redor já são raríssimos, os que conseguem manipulá-las, são ainda mais. A razão para que algumas pessoas se arrisquem para conseguir o que quer que seja são em sua maioria pessoais, e o heroísmo e sacrifício pessoal são reservados apenas para pouquíssimos santos, lunáticos ou tolos.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.