quarta-feira, 15 de outubro de 2014

O RPG mais assustador que já joguei - #RPGaDay

Sim, quase dois meses depois eu ainda estou terminando minhas postagens do #RPGaDay! Hoje é dia de falar sobre RPGs assustadores, aqueles que te causam um desconforto jogando, em que você teme tanto pelo seu personagem que fica ansioso, receoso e praticamente quer levantar e ir embora mas é um tipo de sensação tão legal que você fica preso à mesa!

Existem muitos RPGs de horror por aí, projetados para instigar essas sensações, inclusive com mecânicas que reforçam as sensações de medo, terror e horror nos personagens. Call of Cthulhu talvez seja o mais famoso, mas confesso que não o conheço tanto. Joguei poucas vezes, meus personagens, invariavelmente, morreram ou ficaram loucos mas eu nunca me senti ansioso ou com medo. Era algo que eu já esperava e era traduzido mecanicamente no jogo com a Sanidade se esvaindo. Talvez por isso eu não tenha internalizado tanto o sentimento.

Por outro lado, há um pouco mais de 1 mês eu joguei uma sessão de AD&D 1ª Edição que me deixou com os cabelos arrepiados atrás da nuca. Estávamos jogando o módulo Q1 - Queen of Demonweb Pits com personagens de nível alto, tipo 12 ou 13. Mas no AD&D, mesmo nesse nível, você é bastante mortal ainda. Além disso, a aventura é feita de modo a você estar sempre sem saber para onde está indo e sem vem os seu arredores. Nós tentávamos mapear por onde tínhamos passado mas tudo parecia muito confuso, com rampas para todos os lados e uma neblina que ficava espessa e nos impedia de ver mais adiante, isso sem falar na aranhas que pulavam sobre nós de vez em quando. Era extremamente desconfortável?

E quando achamos uma porta? Quem tinha coragem de abri-la e se arriscar a sofrer as consequências da potenciais armadilhas dos Drow? Tenso, mesmo com o Ladrão dizendo que checou e não tinha nada ali. E, obviamente, em algumas tinham e doía. E quando a neblina bloqueava nossa visão, será que teria algum efeito cruzar ela? Sem falar que não haviam paredes ou teto, o chão flutuava nessa neblina estranha (de onde surgiam aranhas gigantes) e outras plataformas ficavam flutuando por aí. A gente até pulou de uma para outra e meio que "flutuamos" entre elas. Isso sem fazer a menor ideia de onde estávamos ou para onde estávamos indo.

Isso até entrarmos em um templo com 3 Sacerdotisas de Lolth e 30 zumbis. Matar os zumbis foi até fácil, mas depois disso foi uma carnificina total. Mesmo sendo brutalmente humilhados, essa parte não me causou temor, ansiedade nem nada. A antecipação do que poderia acontecer era muito mais perturbadora do que quando a gente sabe o que está enfrentando. Não sei se para vocês é a mesma coisa ou funciona da mesma forma nas suas mesas. Mas quando sabemos o que nos espera, quando sabemos que vamos enfrentar coisas de filme de terror, que nossos personagens vão morrer, ficar loucos ou sei lá o quê, isso não tende a me afetar tanto quando existe a incerteza e a chance de nada disso acontecer e eu escapar, ainda que pequenas.

Então é isso. O RPG mais assustador que eu joguei foi AD&D 1ª Edição e não porque ele tem mecânicas para causar horror ou coisas do tipo, mas talvez porque justamente ele não tenha e o mestre soube conduzir bem o jogo e a aventura era bem perturbadora. E vocês? Já se sentiram assim jogando algum RPG?

Esta postagem foi a nº 28 do #RPGaDay! A próxima é sobre o encontro ou cena mais memorável que já tive em um RPG!


Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.