quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Romance no RPG - Uma aventura por si só

Anteontem foi o dia de São Valentim ou Valentine's Day como é mais conhecido. Lá fora, esse dia é como o nosso dia dos namorados (12 de junho), por isso resolvi, ainda que dois dias atrasado, fazer essa postagem em homenagem a essa data.

Romance é um elemento pouco utilizado, se é que utilizam alguma vez, na grande maioria das mesas de RPG por aí (se eu estiver errado, comente como a sua mesa explora esse tema). No entanto, esse tema pode ser explorado de forma muito produtiva em qualquer campanha. Ele pode introduzir novos elementos na narrativa, conflitos diferentes, novos personagens e interesses e momentos de "roleplay" divertidos mas, também, deve ser utilizado com cautela, pois existem maneiras certas e erradas de se introduzir esse elemento.

O romance no RPG é legal no sentido da exploração, da história sendo desenvolvida, dos desafios a serem superados e da busca por algo único. O romance pode ser uma aventura por si só, entrelaçada na campanha. Há dificuldades a serem vencidas, pois nenhuma sociedade aceitaria de forma normal o romance entre uma donzela e um aventureiro sem restrições, que sai por aí em busca de tesouros. Há diversos ritos e restrições que podem ser pontos de conflitos. Outros pretendentes, amantes, ex-namorados, enfim, há uma infinidade de possibilidades para boas histórias e aventuras.

Só para ter ideia, que tal se em uma aventura um homem local se apaixonasse pela paladina do grupo e fizesse de tudo para estar ao seu lado, irritando terrivelmente a curandeira local que secretamente o amava. E se, em sua loucura, ele seguisse o grupo em uma aventura e acabasse tendo que ser salvo? Ou então, uma ocasião em que um personagem esteja tentando conseguir ficar ao lado da filha do Barão, que não aceita de forma alguma essa relação, e o resto do grupo deve ajudar a distrair os guardas do nobre para que o amigo consiga falar com a donzela antes de partir? E se o barão for na verdade o vilão que tem atormentado o sono dos heróis por todo esse tempo?

Dá para perceber que a introdução desse tema nas mesas pode trazer histórias muito interessantes. Pense em como a sociedade do seu mundo de campanha lida com as relações entre as pessoas. É normal um homem que vive viajando, sem ter um local fixo onde vive, que está sempre com armas em punho, cheirando a suor de orc e arriscando a vida diariamente ser agraciado com a mão de uma moça de família? Quais as restrições entre o relacionamento de personagens de raças diferentes? E crenças diferentes? Quais os obstáculos que as pessoas teriam que enfrentar para viverem esse romance.

Por fim, se as coisas evoluírem em direção ao que acontece na cama, role um dado e siga em frente. O legal do romance é a exploração e os desafios. E você? Já pensou em utilizar romance em suas aventuras? Se já, como foi a experiência? Conte para nós!

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.