domingo, 26 de outubro de 2014

O meu RPG favorito de todos os tempos - #RPGaDay

Finalmente cheguei na última postagem do blogsfest #RPG a day, mesmo com, sei lá, 2 meses de atraso! Hoje vou falar sobre o meu RPG favorito de todos os tempo e porque eu gosto tanto dele assim. Eu gosto de muitos jogos diferentes mas tem um que eu coloco acima de qualquer outro. Aliás, vocês até já devem saber qual é, né?

É o Dungeon Crawl Classics Roleplaying Game (DCC RPG)! Este RPG, para mim, me fez redescobrir os jogos de fantasia clássicos e me fez sentir como se estivesse jogando RPGs pela primeira vez novamente. Tudo é novo, fantástico, esquisito e emocionando novamente. Este jogo, lançado em 2012 faz um resgate da fantasia pulp praticamente esquecida nos últimos 20 anos e utiliza um sistema bastante simples e apropriado para aventuras, um jogo ao mesmo tempo familiar e surpreendentemente inovador.

Algumas pessoas podem achar que o DCC RPG utiliza o d20 system (porque, afinal, ela usa um dado de 20 faces para resolver a maioria dos rolamentos) mas ele não é. Este jogo tem um sistema próprio que parte de uma base do d20 system extremamente simplificado (sem skills, sem feats, sem prestige classes, sem inflação de números) e acrescenta elementos novos, mais caóticos e que inserem surpresas ao longo do jogo, mantendo-o sempre desafiador e com bastante espaço para criatividade e descobertas novas.

Com a inserção de novos dados (d3, d5, d7, d14, d16, d24 e d30), você se sente jogando RPG pela primeira vez de novo, vendo novos dados estranhos, e a maneira com que a cadeia de dados faz você utilizá-los, torna o jogo mais divertido e diferente. Ao invés de perder -4 pra atacar alguém em meio a uma neblina, você rola do d16, por exemplo. Com um jogo sem perícias que vão evoluindo a cada nível, você não precisa criar desafios com nível de dificuldade absurdos, porque pular um desfiladeiro será desafiador não importa o nível do personagem.

Outra coisa maravilhosa no jogo é como as coisas clássicas parecem tão renovadas. As classes de personagem, simples a primeira vista, escondem uma liberdade e variação muito ricas e trazem inovações que faz você se perguntar como ninguém pensou nisso antes. Para quê dezenas de manobras, talentos e regras para cada coisa que você quer fazer em combate com seu guerreiro. Basta ter a regrinha do Mighty Deed of Armas, rolar seu ataque e pronto, "go nuts" e faça o que quiser! Ladrões que, além de especialistas em fazer aquilo que outros não conseguiriam, são sempre salvos por sua inacreditável sorte? Temos também! Clérigos que devem lidar com divindades caprichosas, instáveis e atender às demandas da mesma mas podendo invocar verdadeiros milagres? Aqui também. Até as classes raciais, que parece algo retrogrado para algumas pessoas, é algo novo e inteligente que vai fazer qualquer um se surpreender. Os anões que farejam ouro, os elfos e suas ligações extra-planares e os halflings que são verdadeiros amuletos de sorte.

Os magos são um caso a parte, talvez a cereja do bolo das classes. A magia no Dungeon Crawl Classics RPG é como eu gosto de imaginar magia em mundos de fantasia. Ela é rara, poderosa, incontrolável e perigosa. Usar uma magia para criar luz? Você está louco? É muito mais seguro acender uma tocha! Cada vez que uma magia é invocada o personagem está lidando com forças cósmicas poderosíssimas e totalmente alienígenas. A magia não é uma ciência e não foi feita para ser usada por mortais. Um mesmo feitiço pode ter efeitos completamente diferentes dependendo das circunstâncias que ele é usado e a mesma magia tem efeitos diferentes em personagens diferentes! Você nunca sabe ao certo o que vai acontecer e isso é muito empolgante!

Outra coisa que traz uma renovação interessantíssima no jogo é o uso da Sorte como um atributo e um recurso escasso que tem relação com seu alinhamento e os interesses cósmicos de entidades extra-planares. Você pode contar com o favor dessas entidades para realizar feitos, mas quanto mais favores tomar, mais dívidas tem e mais difícil vai ficando sua vida depois. Além disso, se você ampliar os interesses e a influência delas no mundo, vai ganhando mais sorte, mostrando que esses seres estão dispostos a te recompensar.

Ainda, tem mais coisas que me fazem achar esse jogo fantástico! Você começa jogando não com um aventureiro inexperiente de 1º nível, mas com 3 ou 4 pessoas "comuns" (mas corajosas o suficiente para tentar largar a vida que tinham) de nível 0 que se envolvem em uma aventura fantástica e perigosa. Aqueles que sobrevivem (são poucos) se tornam personagens de 1º nível! Você não se apega ao seu personagem porque passou horas criando ele, pensando em todos os poderes, combos e coisas que você pesquisou, mas porque passou por desafios incríveis e saiu vitorioso mesmo não sendo "especial"!

Agora, falando das aventuras e o clima do jogo. No DCC, os personagens são aventureiros e não heróis. Eles são personagens de fantasia pulp, em busca de suas próprias ambições. Podem acabar fazendo o bem, mas isso é apenas consequência do seu caminho. As histórias, os mundos, os monstros fogem do tradicional da fantasia que nos acostumamos nos últimos 20 anos. Esqueça Tolkien! Aqui não há orcs, goblins, gigantes e kobolds como conhecemos. Tudo é diferente e único. Seres lovecraftnianos espreitam nas profundezas ao lado de relíquias de tecnologia perdida. A fantasia, a ficção-científica e o horror se misturam e se tornam uma só coisa, com um clima bastante rock'n roll dos anos 70! Não é atoa que dizem que o Dungeon Crawl Classics é o RPG mais Heavy Metal que existe!

Então é isso. Eu acho que eu poderia continuar falando sobre todos os cinquenta mil motivos de porque eu gosto tanto do Dungeon Crawl Classics Roleplaying Game, mas ninguém aguentaria ler tanto assim sem rolar uns dados. Infelizmente esse RPG só está disponível em inglês e é um tanto complicado de comprar ele por um preço acessível. Tenho esperanças, ainda, de que veremos esse título por aqui, em português para que todos tenham acesso a esse incrível jogo. Quem quiser, eu fiz também uma resenha detalhada do jogo.

Quem quiser, aqui pelo Rio eu vou em alguns encontros de RPG e costumo levar ele para jogar. Entre em contato e combinamos que eu dou um jeito de ir até nos encontros que nem sempre vou. Agora, quem é de fora do Rio, eu vou mestrar 4 sessões de DCC RPG lá no World RPG Fest em Curitiba agora dias 8 e 9 de novembro! Não deixem de conferir quem quiser.


Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.