sexta-feira, 9 de maio de 2014

Aventureiros do Mundo Perdido - Introdução

Como já disse aqui há alguns dias, comecei os trabalhos de um novo RPG chamado Aventureiros do Mundo Perdido, um jogo de aventura pulp e fantasia ambientado em um passado fictício do nosso mundo. Dessa forma, sempre que posso e tenho tempo livre (e não estou ao alcance de materiais de desenho para produzir uma imagens legais para o Jogo Básico do B&B) eu acabo escrevendo alguns parágrafos desse novo projeto.

Meu objetivo com ele é produzir um jogo simples, rápido, flexível e com bastante espaço para o julgamento do Mestre (que será chamado de Diretor). Tudo isso em menos de 80 páginas (o objetivo é fazer um livro com 64 páginas, nos moldes dos antigos manuais da TSR de jogos básicos), com regras completas para se jogar por quanto tempo quiserem e ferramentas para que cada Diretor crie seu próprio Mundo Perdido inspirado nas fontes do gênero. Como amostra da produção, segue abaixo as duas primeiras páginas de texto Introdutório.

Introdução 

Há um mundo perdido diante de nossos olhos que não conseguimos enxergar e que muitos lutam para que jamais o encontramos. Um lugar com as ruínas de antigas civilizações, terríveis bestas ancestrais, tecnologia vinda de outros mundos e magia estranha e inacreditável, onde aqueles que entram dificilmente encontram o caminho de volta para casa.

Aventureiros do Mundo Perdido é um jogo de RPG em que os jogadores assumem o papel de exploradores, aventureiros, pesquisadores, curiosos e todo tipo de pessoa que embarcaria em uma aventura para explorar terras estranhas e mitológicas em busca de riquezas, conhecimento, poder ou qualquer outra coisa que alguém posso procurar por lá. O cenário do jogo é o nosso próprio mundo, por volta de 1935, mas em um universo fictício em que coisas fantasiosas e fantásticas como superciência, magia e paranormalidade são verdade.

Por meio de regras simples e flexíveis, este RPG permitirá que você e seus amigos recriem e vivenciem histórias de aventura pulp com seus próprios personagens. O foco deste jogo é em criar narrativas emocionantes e divertidas com personagens interessantes e dignos dos contos heroicos que a literatura do gênero nos presenteia. Sendo assim, as regras devem ser usadas com este objetivo em mente, servindo como ferramentas para o Diretor proporcionar a melhor experiência possível a todos os participantes.

Role Playing Games (RPGs) 

Role Playing Games ou RPGs são jogos colaborativos de criar e vivenciar histórias. Com o auxilia de regras similares a de outros jogos (que determinam as chances do personagem conseguir realizar a ação que pretende ou não), jogadores se reúnem ao redor de uma mesa e contam uma história em conjunto por meio de uma conversa envolvendo ações, reações e situações em que acabam se envolvendo.

No caso de Aventureiros do Mundo Perdido, a maioria dos jogadores interpretará o papel de um “aventureiro” que, de alguma forma, foi parar em uma terra desconhecida e misteriosa, e agora luta por sobrevivência, conhecimento ou mesmo um caminho de volta para casa. As regras servirão para ajudá-lo a criar esse personagem, determinando suas qualidades e defeitos e determinando o quão bem ele consegue realizar tarefas.

Um dos jogadores, que será chamado de Diretor, ficará encarregado de criar um alicerce para a história a ser criada e de arbitrar a aplicação das regras do jogo. Durante a sessão, ele apresenta uma situação aos outros jogadores e eles interagem com esses acontecimentos criando uma história. Como a história se desenrola depende dessa interação e da aplicação das regras para resolução de conflitos. Algumas vezes os jogadores terão que lidar com os problemas da história com sua própria imaginação e raciocínio, outras vezes eles dependerão da sorte nos dados.

O Mundo Perdido 

As aventuras e histórias a serem criadas e vivenciadas pelos participantes terão como pano de fundo um cenário fantástico inspirado em contos “aventurescos” sobre ilhas exóticas perdidas, o centro da terra e outros locais longe dos olhos e da lógica do mundo “normal”.

Este livro não apresentará um mapa oficial com todas as localidades desse mundo perdido, que para todos os efeitos pode ficar em qualquer lugar, mas vai trazer sugestões e ideias do tipo de coisas que pode haver nele e acontecer por lá. Ruínas de cidades antigas e lendárias, civilizações perdidas no tempo, dinossauros e outros animais “extintos”, artefatos mágico e de tecnologia super avançada, nazistas em busca dos segredos de Atlantis, tudo isso e muito mais pode ser encontrado por lá.

O ano é 1935 e o mundo está à beira de mais um conflito mundial. O Nazismo e outros regimes fascistas se espalham pelo mundo. As forças comunistas tomam força na Russia e suas ideias e métodos viajam o planeta. Novos experimentos científicos e paranormais empurram as barreiras do possível e do inimaginável mais para longe.

Em meio a tudo isso, há o mundo perdido, com possibilidades de descobertas e respostas para os anseios de todos. Quem será que descobrirá o paradeiro do Santo Graal? Quem descobrirá a localização da Fonte de Juventude? Quem desvendará os mistérios dos Atlanteanos? Essas e outras perguntas você responderá com seus amigos, ao redor da mesa de jogo.

O que é preciso para jogar? 

Para jogar este RPG você vai precisar de poucas coisas, mas as histórias e aventuras que você criará com ele não terão limites. A narrativa do jogo se passa na imaginação dos jogadores a medida que eles a criam. Apesar disso, o grupo precisará de algumas coisas para que a experiência seja a mais proveitosa possível.
Você vai precisar desse livro, Aventureiros do Mundo Perdido, com todas as regras e informações necessárias para se aventurar em um mundo emocionante e divertido.

  • Uma mesa onde você e seus amigos possam se sentar confortavelmente, com espaço para comidas, bebidas, livros, papeis e dados que serão usados durante a sessão. 
  • Alguns amigos para compartilhar essa experiência (idealmente uns 3 a 5 deles). 
  • Dados de cinco tipos diferentes, com quatro (d4), seis (d6), oito (d8, dez (d10) e doze (d12) faces. Recomendamos cinco de cada tipo para evitar rolar novamente o mesmo dado. 
  • Papeis para anotar as estatísticas e características dos personagens, além de fazer anotações sobre o que está acontecendo na história. 
  • Imaginação, criatividade e vontade de se divertir criando uma história de aventura e emoção como nos filmes e contos que inspiram o gênero de aventura pulp. 

Como se Joga? 

O sistema de jogo do Aventureiros do Mundo Perdido chama-se Tríade e é construído sobre uma base firme e flexível que vai guiar todo o jogo. Essencialmente, toda vez que você precisar fazer um Teste, alguns dados serão rolados e você apurará o resultado somando o valor sorteado em três deles. Se o resultado for igual ou menor à habilidade testada (normalmente um Atributo somado ao nível de um Arquétipo), a ação foi bem sucedida. Caso contrário, a tarefa não foi executada como o esperado.

Normalmente são jogados apenas 3 dados que variam a quantidade de faces de acordo com a dificuldade da situação (quanto mais difícil for o feito a ser realizado, maior a quantidade de lados). No entanto, haverá momentos em que os personagens receberam Dados Positivos e Dados Negativos. Dados Positivos são obtidos em situações vantajosas, como quando o personagem é especialista naquela tarefa, quando possui um equipamento mais do que adequado para o que quer fazer ou quando o ambiente o favorece. Esses dados são jogados simultaneamente com os 3 dados básicos e permitem que o jogador o utilize para formar um resultado mais favorável escolhendo os 3 dados que quiser (geralmente descartando o dado que tiver o maior resultado para formar a soma final).

Já um Dado Negativo funciona de maneira contrária. Eles são obtidos em ocasiões em que o indivíduo está em situação desvantajosa (como quando está cercado por inimigos, sua arma está com defeito ou está gravemente ferido) e adiciona um dado à sua jogada, forçando-o a ignorar o menor resultado que rolar em um dado para formar o valor final da jogada.

Por fim, se o resultado de algum dado (mesmo aqueles não usados para formar o valor final da jogada com 3 deles) for o número máximo possível (por exemplo, um 8 no d8), uma complicação é gerada que pode atrapalhar o personagem. Da mesma forma, se algum dado resultar em um número igual a “1”, algum benefício terá resultado da ação. Isso permite que mesmo ações mal sucedidas possam trazer alguma consequência vantajosa, e sucessos nãos sejam livres de algumas complicações.

Sucesso no Teste 
Resultado dos 3 dados menor ou Igual ao nível da habilidade testada. 
Dado Positivo 
Dado adicional a ser jogado que descarta o dado de maior valor para apuração do Resultado 
Dado Negativo 
Dado adicional a ser jogado que descarta o dado de menor valor para apuração do Resultado. 
Benefícios 
Cada dado resultando em “1” gera um benefício na ação. 
Complicações 
Cada dado resultando no valor máximo possível gera uma complicação. 

Isso é a base de todo o jogo (mais detalhes sobre o sistema pode ser encontrado no capítulo Aventuras). No próximo capítulo você aprenderá a criar seu personagem, que servirá como um alter ego no mundo fantástico e emocionante de Aventureiros do Mundo Perdido.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.