quinta-feira, 28 de junho de 2012

O Grupo Morreu, e Agora?

As vezes acontece, em um combate desafiador o grupo de aventureiros é derrotado e morre. Pode ser culpa dos dados, que não colaboraram, de uma escolha infeliz de estratégias, da má administração dos recursos ou do péssimo hábito de alguns aventureiros de achar que são invensíveis. E aí, se isso acontecer, o que poderíamos fazer?

Muitos jogadores, com certeza, ficariam frustrados, sentiriam que perderam algo importante, ou até que foram roubados, achando que o mestre fez aquilo de propósito (raramente alguém vai admitir que não deveria ter enfrentado o Dragão). Alguns mestres se setiriam culpados, achando que podia ter evitado aquilo e agora o jogo acabou, infelizmente. Mas peraí, o jogo não precisa acabar. Essas situações podem ser realmente um tragédia, mas podem trazer algumas possibilidades interessantes para histórias e aventuras.

Ao invés de simplesmente acabar a campanha ali, pare um momento e tenta imaginar o que vai acontecer naquela mundo com o morte dos personagens? O fim pode ser apenas o começo. O que será que aconteceu com as pessoas que dependiam deles? Será que alguém tentaria ajudá-los? Resgatá-los? Será que eles estão realmente mortos? Ou foram capturados e agora podem tentar escapar? E se morreram, será que há escapatória para isso?

Enfim, uma TPK (Total Party Kill, como chamam), que é a morte de todos de um grupo, não precisa ser o fim de um jogo, manchado pela frustração. Ela pode ser, também, uma oportunidade para uma mudança de estilo de jogo, uma nova história, novas aventuras. Abaixo vou dar algumas sugestões para que rumo tomar quando isso acontecer. São apenas ideias que podem se adequar a sua mesa ou não. Aproveite para tentar pensar em outras alternativas que lhe agradem mais.

Do Outro Lado: Os personagens, de fato, morreram, mas a essência deles foi para o mundo dos mortos, ou inferno ou purgatório e agora eles tem a chance de escapar desse destino sombrio. Talvez eles tenham que lutar para escapar de um destino ainda pior que a morte, como a servidão eterna para demônios ou outras entidades. Pode ser que eles não entendam o que aconteceu com eles e precisem, antes de mais nada, identificar onde estão, andando por um mundo totalmente novo e misterioso. Algumas maneiras de retornarem a vida podem ser fazendo um acordo com alguma entidade (em troca de algo é claro), escapando por algum portal para o mundo terreno, enfrentando a criatura que detém a alma deles. Enfim, o interessante vai ser jogar os personagens em um mundo estranho, com criaturas que eles nunca viram, fazer com que eles entendam que estão "mortos" e que para voltarem para suas antigas vidas, terão que fazer algo grandioso.

Prisioneiros: O vilão não os matou, ele tem planos melhores para os aventureiros. Ele fez questão de deixá-los vivos, ou mesmo trazê-los de volta do outro lado para que servissem a esse plano dele. Ele pode querer que os heróis vivam para presenciar seu momento de glória, para sacrificar suas almas a seu deus maligno, ou talvez não tenha coragem de matá-los. Acontece que, por causa disso, os personagens terão uma chance de escapar. É importante que o vilão tenha um motivo concreto para deixá-los vivos, se não vai parecer que você não tem coragem de matá-los e isso vai tirar toda a tensão e emoção do jogo. Agora resta os personagens descobrirem para que foram deixados vivos e como escapar dessa situação.

Reincarnação: Talvez o destino dos personagens não tenha sido cumprido ainda e eles voltem a vida. Pode ser naquele mesmo momento, quando abrirem os olhos e se verem em outros corpos, com a mesma memória mas habilidades diferentes. Pode ser centenas de anos após suas mortes, quando se lembrarem de eventos de um passado distante. E agora, o que eles faram? Eles vão tentar realizar aquilo que não conseguiram na vida passada? E o que aconteceu devido a falha deles? Coisas muito importantes podem ter mudado no mundo e eles terão que se adaptar a essas mudanças. Essa pode ser uma boa oportunidade para mostrar aos jogadores que as ações deles, e suas falha, trazem consequências concretas para o cenário.

Resgate: Um grupo de aventureiros foi ao covil do necromante para expulsá-lo da floresta mas nunca mais voltou. O que será que aconteceu com eles? Essa é uma opção diferente. Os jogadores não permanecerão com os mesmos personagens, mas jogarão com outros, que irão atrás deles, para salvá-los, resgatar os corpos ou, quem sabe, apenas saber o que aconteceu com aqueles corajosos heróis que desapareceram. É uma oportunidade para os jogadores interagirem com seus próprios personagens. Verem como o mundo exterior enxerga eles e, com sorte, salvá-los de um destino terrível.

Sem dúvida, você vai pensar em outras possibilidades para continuar jogando mesmo com uma tragédia na mesa. O importante é tentar criar um propósito maior para essa história para que seu jogadores não fiquem achando que você não tem coragem de matar os personagens deles. Na verdade, o legal é criar uma história a partir dessa possível morte, enriquecendo o jogo, dando uma reviravolta na história.

Na mesa de vocês já aconteceu essa situação? O que vocês fizeram? Terminaram a campanha ali? Deram um jeito de continuar? Inventaram alguma aventura maluco como as acima? Alguém ficou chateado?

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.