quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Ajude seu GM a contar a história!

A maioria das vezes eu tento dar alguma dica para narradores, mas, hoje, vou tentar passar alguma coisa para os jogadores. Eles também podem fazer muito para melhorar qualquer mesa por aí.

Já se foi a época em que o GM tinha poder absoluto e decidia tudo na mesa, aliás, ainda bem, né? Existem até jogos, como o Fiasco, em que não há mestres na mesa e a narração fica por conta de todos os jogadores. O mais comum no entanto é o poder narrativo ser um pouco compartilhado. Assim, em alguns momentos, a função de narrar o que acontece no jogo passa do GM para os jogadores. Isso pode acontecer no meio da narrativa do mestre, quando o jogador propõe uma ação e é bem sucedido no teste, ou até depois da aventura, quando os jogadores em turno dizem o que seus personagens fazem e o que acontece até a próxima empreitada. Mas como você pode ajudar o seu mestre com isso? Simples, faça esses momentos em que você narra valerem a pena.

Se estiver narrando uma ação do seu personagem, descreve de forma criativa e empolgante. Não diga simplesmente que golpeou o orc com seu machado. Descreve como o orc deixou a guarda baixar quando tentou acertá-lo com a cimitarra e como você se esquivou para o lado direito, subiu na pedra e pulou sobre ele  acertando a lâmina do machado no peito da criatura enquanto gritava alto. Não tenha medo de se empolgar nas suas descrições, faça vozes diferentes, gesticule. Isso faz com que a imersão de todos na mesa seja ainda maior e incentiva os outros jogadores a fazerem o mesmo. Assim, todos acabam se envolvendo mais na aventura e as cenas ficam mais vívidas e divertidas.

Já se você estiver narrando algo que seu personagem foi fazer no intervalo entre aventuras, use esse tempo para introduzir algumas coisas na história que seu mestre possa usar. Se voltar para sua cidade natal, fale das pessoas que você encontra lá, seus parentes, amigos, rivais, e, por que não, inimigos. Fale de algumas histórias daquele lugar, daquelas pessoas. Invente lendas, problemas, mistérios, o jogo é tão seu quanto do seu narrador. Fazendo isso você dá a oportunidade ao GM de criar histórias que tenham ligação com seu personagem, reforçando um realismo no mundo e fazendo com que a história dele faça diferença. É um bom momento para você introduzir aspectos na história que você gosta. Se você gosta de ir atrás de tesouros perdidos, fale que você encontrou um tio-avó numa festa de família e que ele ficou horas falando do velho tesouro da colina, que nunca foi encontrado e que é protegido pelo fantasma do Bandido Olhos-Vermelhos. Se gosta de aventuras de Mistérios, fale que todos na vila estavam receosos com os acontecimentos recentes de pessoas desaparecendo sem deixar rastros. E por aí vai.

Mas e se na sua mesa não houver esses momentos em que a narrativa é dividida? Bem, ainda existem outras forma de ajudar. Dê um "feedback" para seu mestre sobre a campanha ou aventura. Diga para ele, de forma educada, é claro, o que você gostou, o que você não gostou, o que gostaria que acontecesse mais vezes, o que você gostaria que fosse introduzido na história. Basicamente, compartilhe idéias sobre o jogo. Pode não parecer, mas os narradores vão gostar muito de saber o que você acha da mesa e saber que você está interessado em ajudar a melhorar ela. Além disso, ele mestra tentando agradar os jogadores, deixá-los interessados e entretidos, se você estiver disposto a ajudá-lo, dizendo o que você gosta e o que o divertirá mais, você estará facilitando a vida dele imensamente.

Enfim, lembre-se que o jogo é de todos e vocês constroem a história juntos. Você tem tanto direito de ajudar a contá-la quanto qualquer um na mesa. O mestre é apenas o veículo para isso e ele é o responsável por conduzir o jogo, mas todos podem participar dele.