segunda-feira, 7 de setembro de 2015

A importância das contradições nas descrições de personagens, localidades e outros elementos

Tornar a nossa criação, sejam NPCs, locais, monstros ou quaisquer outras coisas, mais interessantes e cativantes para os nossos jogadores é uma busca constante para nós, mestres de jogo. Às vezes passamos horas, dias, pensando e criando esses elementos, tentando criar detalhes e mais detalhes para tentar prender a atenção daqueles sentados à mesa conosco mas, muitas vezes, esquecemos de uma coisa que, invariavelmente, chama a atenção de qualquer um: contraste.

Contraste é quando um elemento se contrapõe a outro, contradiz, causa um conflito. São justamente os elementos que apresentam essas contradições que chamam a atenção e são mais memoráveis para os jogadores. Dessa forma, para que nós possamos criar NPCs, localidades e outros elementos interessantes para o jogo, devemos pensar em como apresentar eles com estas peculiaridades.

Estabelecendo Verdades
A primeira coisa a se fazer é estabelecer verdades de um mesmo tom e estilo para inserirmos, depois, uma elemento contrastante que se destacará. Duas ou três características que se complementam, formando uma imagem características. Por exemplo:

O guarda dos portões da cidade possui feições duras, um olhar taciturno e não troca mais palavras do que o estritamente necessário.

Essa pequena descrição estabelece 3 verdades que se complementam e formam a imagem de um guarda de poucos amigos, duro e de difícil aproximação, nada demais no entanto.

Insira uma Contradição
Em seguida, é o momento de se inserir uma característica contraditória às já estabelecidas, causando uma ruptura ao tom e imagem padronizada. Isso dará um destaque ao elemento e personalidade também, deixando-o memorável. Voltando ao exemplo acima, vejamos como ele fica com uma característica contrastante:

O guarda dos portões da cidade possui feições duras, um olhar taciturno e não troca mais palavras do que o estritamente necessário. No entanto, sentado em seu colo, um gato cinzento é acariciado como filho que ele nunca teve.

Pronto, com apenas mais uma característica estabelecida um personagem muito mais interessante se forma na mente dos jogadores. O guarda pode ser mal-humorado, taciturno e rude, mas ele ainda guarda afeto para seu bichano. Quem sabe eles não conseguem afetá-lo por meio do gato?

Outos Exemplos

Essa técnica funciona com quase qualquer coisa que o mestre se jogo queira descrever e chamar a atenção. Personagens pouco importantes e elementos que não devem ser destacados ainda podem ficar sem essas contradições no entanto.

A torre estava em ruínas, coberta de limo e vinhas, com parte das paredes desabadas grandes pedregulhos espalhados ao seu redor. Entretanto, por alguma razão, a porta de bronze que marca sua entrada ainda estava impecável, brilhando como se tivesse sido forjada hoje.

A velha bruxa tinha uma aparência detestável, com unhas cumpridas e mal cuidadas, corcunda pronunciada e cabelos desgrenhados. Apenas os seus olhos contradiziam aquela fachada, sendo de um belo azul cristalino, parecendo a cor do céu em um belo dia de sol.

A espada que encontraram guardada no velho baú parecia ordinária, com uma empunhadura simples, sem ornamentos e de lâmina reta, sem nenhuma marca característica. Se não fosse o fato dela refletir a luz projetando o que parecia ser um pequeno arco-íris, eles jamais adivinhariam que aquela era a arma que procuravam.

Espero que essa dica lhes ajude a criar elementos mais interessantes e atraentes para seus jogos da mesma forma que me ajudou. Em breve farei uma postagem com mais exemplos para serem usados em diversos locais.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.