terça-feira, 4 de setembro de 2012

Vida Longa a OSR!

Tem surgido em diversos blogs por aí, tanto lá fora, como em blogs aqui do Brasil, um papo sobre a validade e a continuidade da OSR. Mesmo sabendo que já tem bastante coisa por aí, eu achei que não custava nada eu falar ou pouco disso aqui também, tentando deixar claro, para quem não sabe bem o que é isso, que a OSR não é uma organização, uma campanha, um mercado, nada disso. São apenas nós, jogadores, mestres, criadores, pensadores e pessoas, que amamos nossos jogos e nos divertimos jogando eles sem precisar que nada, nem ninguém, diga como fazer isso, ou que livros comprar agora.

Para começar, seria bom definirmos o significado de OSR, né? Bem, isso é um pouco complicado de se fazer. Sabe quando você sabe exatamente o que é algo mas é difícil botar um nome preciso sobre aquilo? Pois é, OSR tem várias definições, como Old School Renaissence, Old School Revival, Original Style Revolution, Original Style Rebelion, e várias outras misturas dessas palavras. Basicamente, significa trazer de volta uma maneira de estilo de se jogar e criar histórias, aventuras e jogos como era feito na década de 70 e início da década de 80, principalmente inspirado nas versões clássicas de Dungeons & Dragons (a versão original de 1974, as versões do Holmes, Moldvay, Cook, Mentzer, AD&D 1ª Edição). Mas não simplesmente jogar o que foi publicado a 30, 40 anos atrás, mas produzir coisas novas em cima disso, no melhor estilo "faça você mesmo", modificar o jogo de forma a torná-lo mais acessível ao público contemporâneo e introduzindo novas ideias e jogos com o mesmo espírito.


Vale frisar que a OSR não é uma organização, no sentido estrito da palavra. Não há um líder, uma companhia, uma carteira de membro, mensalidade ou algo assim. Essa sigla surgiu de um movimento autônomo que surgiu com a vontade de muita gente de continuar jogando e produzindo material para edições de um jogo que pararam de ser suportadas oficialmente. Ela não foi fundada por alguém que um dia acordou e pensou "vou criar um movimento para pessoas que gostam das edições antigas de Dungeons & Dragons". É quase como se ela tivesse surgido sozinha, obra de todos, com vida própria. E é exatamente isso que a torna tão legal!

Agora, qual seriam os objetivos da OSR? Bem, essa é outra pergunta difícil de responder, principalmente se levarmos em consideração a definição de OSR que tecemos nos parágrafos anteriores. A OSR não é liderada por ninguém, é praticamente uma entidade de vontade própria, formada por todo mundo que joga, produz material e populariza os jogos alinhados a ela. Ela, definitivamente, não tem como objetivo mostrar que outros tipos de jogos, sejam as novas edições de D&D, sejam qualquer outro tipo de jogo, sejam ruins. Ela também não tem por objetivo, simplesmente, fazer com que as antigas edições sejam republicadas. Isso sem dúvida seria algo muito legal de acontecer e permitiria acesso a essa material para muitas pessoas que não tiveram, mas a OSR que ir além disso, além do que já existe, fazer coisas novas, mas sem esquecer o passado, claro. O objetivo da OSR também não é fazer com que todo mundo só jogue os jogos produzidos por ela (ela não é um negócio). Sem dúvida, apresentar esses jogos, considerados por uns, "do passado", às novas gerações de jogadores seja legal e importante, a OSR não pretende dominar o mercado e se tornar o único tipo de jogo jogado. Acho que se existe um objetivo claro dela seria, simplesmente, existir, e continuar existindo. Com pessoas jogando, produzindo e conhecendo esses jogos, que continuar válidos e super divertido mesmo depois de quase 40 anos.

E qual seria, então o futuro da OSR? Os jogos "old school" vem, cada vez mais, conquistando novos jogadores, novos produtos, maior suporte, se tornando algo realmente grandioso. Mas até onde será que ela vai? Até onde nós quisermos ir. Não é porque, agora, existem convenções de jogos "old school", a Wizards of the Coast publicou os livros básicos da primeira edição de AD&D, o catálogo de produtos da TSR vai ser relançado em formato digital, ou qualquer coisa do tipo, que a OSR vai "se dar por satisfeita" e parar. Negativo! Ela nem tem essa opção. Enquanto existirem pessoas jogando, criando material e dividindo e colocando esse material disponível para outras pessoas, ele vai continuar. Mesmo se editoras e empresas que dão suporte a ela fechem, ela continuará.

Para finalizar, vou reproduzir um comentário (tradução livre) do Dan Proctor, da Goblinoid Games, um dos caras que mais contribuiu e contribui para a OSR, na postagem que o David Macauley fez no blog There's Dungeons Down Under: "Não importa o que a WotC diga, eles nunca vão dar suporte ao D&D "old school" como a maioria de nós gostaria. Colocando todo antigo catálogo disponível online só vai dar suporte à OSR, não suplantá-la. A OSR, o que quer seja isso, a quem quer que ela seja atribuída, já pegou a tocha e está correndo com ela. E nós não vamos devolver. Algumas pessoas ainda querem, desejam, esperam, que a WotC suporte totalmente o D&D "old shcool" porque não conseguem entender que nós somos a única credibilidade que precisamos. Nós não precisamos do patrocínio da WotC, nós não precisamos da marca deles. Todos nós já tomamos posse do "old school", e devemos festejar com isso, e não ficarmos com as mãos trêmulas e esperando que eles sejam misericordiosos para republicar todo seu antigo catálogo. Os jogadores de Pathfinder fizeram essa troca e, honestamente, o resto de nós estaria muito melhor se rompêssemos esse cordão também."

É isso aí. Vida longa a OSR! E se um dia ela morrer, é só darmos um "Raise Dead" nela.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.