sábado, 15 de setembro de 2012

Crônicas da Terceira Era - Epílogo


Um grande estrondo pode ser ouvido, ainda que baixo, nas Montanha Solitária. Algo grandioso acontecera no Norte, nas antigas Montanhas Cinzentas. Dáin Ironfoot, o Rei Sobre a Montanha, tinha receios de que a missão de Elmara, Klandrin, Balared e Mikayla tivesse falhado e, esperando pelo pior, decidiu preparar seu exército para a investida do Inimigo. Mas, depois de meses e o fim do verão, nenhum exército, seja de orcs ou homens do oriente chegou a Erebor.

Já era outono quando o peregrino cinzento, Gandalf, chegou a Erebor, acompanhado de Legolas, o príncipe do Reino da Floresta, filho de Thranduil, Beorning, do Vale do Anduin, e Elrond, de Rivendell. Eles vieram com notícias e com uma proposta de uma nova paz entre os Filhos de Durin e o Povo da Floresta. O mago voltara do norte há poucas semanas, trazendo a espada de Elmara e o Machado de Balared, encontrados nas ruínas do antigo forte de Demunkir, nas Montanhas Cinzentas. No entanto, nenhum sinal de Klandrin ou Mikayla foi achado.

A chegada de todos esses líderes de povos a Erebor chamou a atenção de todos, trazendo indivíduos de todo o norte para a Montanha Solitária. Durante dias, os Povos Livres do Norte conviveram lado a lado na morada do Povo de Durin, assim como os reis, príncipes e lideres dos povos passaram reunidos, discutindo o destino do norte, agora que, aparentemente, a luta contra um grande mal tinha terminado.

Novas alianças foram feitas, votos de lealdade e amizade foram proclamados novamente, em honra aos heróis desses povos que sacrificaram suas vidas para que uma nova sombra não se estendesse pelas Terras Ermas. Até Robin Roper e Pepê Lingua-Afiada estavam presentes nas cerimônias que foram feitas em homenagem aos heróis. Um fogueira foi acesa em homenagem a Aerandir, o patrulheiro elfo que ajudou o grupo e se perdeu nos pântanos sombrios dos Campos de Lis.

A Reunião dos Cinco Exército, naquele ano, alguns meses depois, reuniu mais participantes do que todas as outras, nos últimos cinco anos. Radagast, o Marrom; Gandalf, o Cinzento, Saruman, o Branco e, até mesmo, Alatar, um dos magos azuis, compareceu à reunião, para celebrar mais uma alvorada no norte, livre da Escuridão. A festa durou uma semana, com muita comida, bebida, jogos, competições e música, muita música de todos os Povos Livres. O Ano de 2950 da Terceira Era terminava melhor do que os últimos cinco anos. Com a paz renovada, alianças refeitas e esperança para que a luz brilhasse cada vez mais forte sobre aquelas terras.

No entanto, sempre depois do nascer do sol, vem a noite, e ela não iria demorar para chegar às Terras Ermas e para toda a Terra-Média. No início do ano de 2951 da Terceira Era, Sauron, o Inimigo de todos os Povos Livres, anuncia seu retorno a Mordor e envia seu fiel serve, o Rei Bruxo, para retomar sua fortaleza em Mirkwood, Dul Goldur.

Os Povos Livres do Norte, não esperavam por aquilo, talvez por estarem embriagados com a recente vitória contra o Feiticeiro Negro de Angmar, ou por terem perdido um valoroso grupo de aventureiros. Uma grande sombra começava a se formar nas Terras-Ermas novamente, será que alguém conseguiria trazer a luz para norte, de novo?

Essa história está sendo criada em uma mesa de The One Ring - Adventures over the Edge of the Wild. Cada sessão corresponde a uma parte da história, que se cria e modifica conforme todos os envolvidos decidem o que seus personagens fazem e como eles reagem.

Para ler outras partes dessa crônica ou outras crônicas, clique aqui.