sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Tornando Monstros Monstruosos - Orcs

Uma das coisas que eu mais gosto no Dungeon Crawl Classics RPG é a maneira com que ele lida com monstros e criaturas nas aventuras deles. Aliás, para quem quer conduzir uma campanha de DCC RPG no clima que o jogo pretende invocar, dar uma olhada nas aventuras que eles lançam é bastante produtivo. O livro básico explica bem como é o jogo e como o juiz deve fazer com suas criações, mas ver tudo isso aplicado na nossa frente nos faz compreender ainda melhor o estilo de jogo que este magnífico RPG de fantasia invoca.

Monstros no DCC RPG são únicos, diferentes e inusitados. Os personagens dos jogadores não podem fazer um rolamento de dados para saber sobre um monstro, suas fraquezas e características. Os personagens estão descobrindo aquelas criaturas ao longo de suas aventuras e, da mesmas forma, deveria ser assim também com os jogadores. Assim, colocar um orc em um aventura de Dungeon Crawl Classics RPG, pelo menos na concepção de orc que todos nós já temos enraizada em nossas mentes, seria contraproducente ao clima de jogo. Para se colocar um orc em uma aventura de DCC, precisaríamos reimaginá-lo, tornando esse monstro monstruoso novamente. E é sobre isso que é esta postagem!

Orcs - Os Filhos do Ódio

Criados em caldeirões por Reis-Bruxos antigos, a partir das partes mutiladas de seus inimigos, os Orcs são a encarnação viva da dor e do ódio. Apesar de serem criados a partir dos restos mortais de centenas de pessoas, eles não são mortos vivos, mas abominações que recebem viva através de um sangue corrompido com o espírito odioso vindo das profundezas do abismo.

A aparência desses monstros é a corpos deformados, costurados a partir das partes de vários indivíduos, com cicatrizes e suturas por todo o corpo. A pele dos mesmos tem tons acinzentados e escuros, e a transformação que sofrem nos caldeirões que os criam tornam suas feições animalescas e deformadas, dando-lhes dentes afiados, ossadas protuberantes e outras características bestiais.

Além disso, devido à sua origem ligada a dor e sofrimento, Orcs sentem um prazer instintivo relacionado a causar e sofrer dor. Assim, eles próprios utilizam diversos instrumentos para causar dor em si mesmos, fazendo uso de ganchos, piercings e outras modificações corporais. Orcs também tem por hábito o uso de roupas de couro escuro, cheia de ganchos e espinhos. Isso tudo resulta em uma aparência ameaçadora e horripilante, capaz de intigar medo em qualquer aldeão.

Por causa de sua origem, Orcs não são uma raça de grande dispersão pelo mundo e tendem a se concentrar em regiões próximas ao local onde surgiram. A reprodução dessa raça não acontece de forma natural, e é feita por rituais maléficos onde essas criaturas dilaceram suas vítimas, as costuram de forma totalmente aleatórias e jogam seus corpos em caldeirões, realizando rituais profanos em noites sem lua.

Sendo originários dos corpos mutilados de seres que tiveram sua existência interrompida e sofreram muito antes de morrer, os Orcs jás nascem com todas essa angústia infundida em seus corpos e tendem a odiar todos aqueles que conseguem ter uma existência potencialmente feliz.

Ademais, como são costurados das partes de cadáveres que produzem, não é incomum que alguns Orcs sejam feitos com mais de dois braços, duas cabeças, e outras combinações de órgãos menos "humanoides". Isso, combinado com tudo o que foi dito acima dá a essas criaturas uma aparência horripilante, o que os ajuda na hora de causar dor e sofrimento contra seus inimigos.

Abaixo segue alguns exemplares desta raça de monstros.

Orc: Inic +0; Atq arma corpo a corpo +2 (dano da arma + 1), garras +2 (1d4+1); CA 12; DV 1d10; MV 9 m; Ação 1d20; PE ódio inerente e prazer em sentir ou causar dor (depois de sofrer ou causar dano, passa a atacar com 1d24 ao invés de 1d20, e causa +1 ponto de dano em seus ataques); JP Fort +3, Ref +1, Vont -1; AL C.

Orc de 4 Braços: Inic +2; Atq arma corpo a corpo +5 (dano da arma +2), garras +5 (1d4+2); CA 13; DV 3d10; MV 9 m; Ação 2d20; PE ódio inerente e prazer em sentir ou causar dor (depois de sofrer ou causar dano, passa a atacar com 1d24 ao invés de 1d20, e causa +2 ponto de dano em seus ataques); JP Fort +5, Ref +2, Vont +0; AL C.

Orc com braço de cobra: Inic +4; Atq arma corpo a corpo +4 (dano da arma +1), garras +4 (1d4+1), mordida de cobra +5 (1d4 + veneno); CA 14; DV 2d10; MV 9 m; Ação 2d20; PE ódio inerente e prazer em sentir ou causar dor (depois de sofrer ou causar dano, passa a atacar com 1d24 ao invés de 1d20, e causa +2 ponto de dano em seus ataques), veneno (JP de Fort CD 15 ou perde 1d4 pontos de Vigor); JP Fort +5, Ref +2, Vont +0; AL C.

Enfim, várias outras variações possíveis. Mas o importante é passar a ideia dessas criaturas como aberrações bizarras, deformadas, feitas com pedaços costurados de outras criaturas, com um ódio incomensurável de tudo que é diferente deles, com um prazer pela dor e angústia que não conseguem esconder, sempre com roupas de couro escuro, cheios de ganchos, espinhos e outras modificações em seus corpos.

De qualquer forma, está é apenas um sugestão para reimaginar essas criaturas e, de nenhuma forma, é a interpretação "correta delas".

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.