quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Magos deveriam ter a habilidade Decifrar Linguagens

Há alguns dias venho pensando em uma coisa que me causa estranheza faz anos: Ladrões sabem decifrar linguagens e magos, que são estudiosos de tomos antigos, não. Na literatura que inspira o jogo original, há alguns exemplos de feiticeiros que decifram símbolos e escritas estranhas, mas não tenho muitas lembranças de magos fazendo isso. Bem, Grey Mouser, se não me falha a memória faz isso uma vez, mas ele era aprendiz e mago.

Eu entendo que Ladrões devam ter a capacidade de decifrar e entender códigos que outros Ladrões usam para mandar mensagens e coisas do tipo, como espiões, mas linguagens antigas e arcaicas, de eras passadas, que os próprios magos devem decifrar para entender os segredos das magias que tanto praticam é um pouco estranho. Talvez isso encare os Ladrões como arqueólogos que caçam tesouros (Indiana Jones), mas acredito que, então, o mesmo tratamento deveria ser dado aos Magos.

Para falar a verdade, acho que já faz um tempo que venho dando esse tratamento aos Magos nos meus jogos. Pelo menos naqueles em que essa classe se refere àqueles indivíduos que estudam tomos antigos, escrituras, astros e buscam conhecimento perdido para adquirir o domínio de sua arte. Sendo assim, eu proponho a criação de uma habilidade para Magos igual, ou muito semelhante à dos Ladrões: Decifrar Línguas Antigas.

Ela funcionaria de forma a permitir que esses personagens estudassem e decifrassem as mensagens escritas em tomos antigos, paredes de templos, pergaminhos, mapas de tesouros e outras coisas. Ela não serviria para decifrar códigos de linguagens secretas, como a habilidade dos ladrões, mas ajudaria o Mago a desempenhar seu papel de erudito e estudioso com mais qualidade.

Apesar de existir a magia Compreender Linguagens, esta tem um uso muito mais amplo e é certeira e imediata. Esta habilidade demoraria tempo, 30 minutos por página, por exemplo e poderia falhar, inclusive. Ainda assim, acredito que ela seja de grande utilidade e pode ajudar muito a deixar os Magos se sentirem mais úteis e cumpridores de seus papeis. Sem falar que é um ótima oportunidade para o Mestre de Jogo inserir elementos de história a serem descobertos pelo grupo.

Assim, implementando isto em DCC RPG, a habilidade seria mais ou menos assim:

Decifrar Línguas Antigas: Devido aos longos anos de estudo sobre tomos antigos, escrituras de civilização passadas e símbolos em paredes de templos de deuses esquecidos, o Mago é capaz de, com um certo tempo para estuda-los, decifrar mensagens escritas em línguas antigas e desconhecidas. O tempo necessário para tal é de 1d4 turnos por página de conteúdo (tempo mínimo é de 1 turno). A CD deste teste varia de 10 a 20 (ou mais), dependendo da obscuridade da língua e da familiaridade do mago com uma língua similar ou derivada daquela.

Nível
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Modificador
+3
+4
+5
+6
+7
+8
+9
+10
+11
+12

Essa habilidade virá a calhar quando apresentarmos a classe de Bruxo para o DCC RPG.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.