sábado, 3 de outubro de 2015

Itens Mágicos como Ganchos de Aventuras

Já falei sobre itens mágicos algumas vezes por aqui, inclusive dando alguns exemplos. Nossos jogos de RPG são repletos desses objetos que, muitas vezes, se tornam obsessões de alguns jogadores e um grande chamariz para aventureiros. Itens mágicos podem fazer muitas coisas legais, entre deixar seu personagem mais forte e permitir que ele faça coisas que não conseguiria fazer normalmente. Mas a coisa mais legal que ele pode fazer é servir como ganchos de aventuras para o mestre.

Todo item mágico deve ter uma história, personalidade, objetivo e tudo isso, com certeza, envolverá outros atores, lugares e objetos. E isso, amigos, é a principal coisa que esses objetos trazem para o jogo. Não são os poderes, os bônus roubados e outras vantagens que eles trazem, mas as oportunidades de aventuras que eles introduzem na campanha.

Abaixo, estão algumas sugestões de como usar itens mágicos para introduzir ganchos de aventuras de m sua mesa.

Devolver a criador: o item deseja, mais do que tudo, se reencontrar com seu criador (ou então, tornar seu atual possuidor o seu antigo criador, com rituais de magia antiga, talvez o enganando). Isso pode levar o grupo a uma busca longa por ruínas e outros lugares por onde o criador passou.

Destruir item inimigo: talvez o item tenha sido criado para acabar com alguma ameaça e esse trabalho deve continuar, ou talvez ele deseja se vingar daqueles que prejudicaram seu ex-dono. O objeto incentivará o seu possuidor a lhe ajudar.

Auto destruição: o objeto deseja acabar com sua vida, pois acredita que sua hora já passou e que é hora de partir. O item tentará convencer seu possuidor a lhe ajudar nessa missão, que, com certeza, não será fácil. O objeto pode oferecer algo em troca pela ajuda.

Terminar sua missão: o objeto fora criado com um objetivo, talvez ajudar um povo ou grupo, levar uma mensagem, ressuscitar alguém, consertar um erro ou algo do tipo. Em troca de poder e outros favores, o item tentará fazer com que seu atual possuidor assuma esta missão.

Terminar sua criação: o item é apenas uma parte do que deveria ser e deseja atingir seu ápice, se completar. Isso provavelmente levará o grupo a diversos lugares para terminar o trabalho. A pergunta é “será que depois de pronto o objeto ainda verá utilidade no grupo?”.

Recuperar uma civilização perdida: criado a muito tempo e ligado eternamente a uma civilização antiga, o objeto deseja acima de tudo trazer esse mundo de volta ao presente, prometendo um lugar de destaque para o seu atual possuidor neste novo mundo.

Conseguir informações: o item é ligado a uma entidade de outro plano e ela utiliza o objeto para conseguir informações e trocar favores com os habitantes deste mundo. O item pode servir como, além de um comunicador, um portal ou chave para outra dimensão.

Objetos atraem inimigos: isso sem falar que objetos de poder atraem inimigos e pessoas invejosas que podem querer os objetos para si próprios. Talvez aqueles que se oponham aos objetivos dos itens mágicos decidam agir antes que os personagens decidam seguir as vontades dos objetos.

Enfim, itens mágicos são, na verdade elementos do jogo para se criar histórias fascinantes, assim como NPCs e lugares. Não os trate apenas como elementos mecânicos e porta estatísticas. Sempre pense em como esses objetos podem acrescentar elementos e situações à sua campanha.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.