sábado, 27 de setembro de 2014

O RPG mais complexo que tenho - #RPGaDay

Eu não sei quanto a vocês, mas hoje eu dia eu fujo como eu puder dos RPGs mais complexos e cheios de regras para cada coisinha. Uma das primeiras coisas que eu faço quando estou conhecendo um novo jogo é olhar para a ficha do personagem. Se ela tiver mais que duas páginas eu já me sinto incomodado. Além disso, se tiver muito espaço para estatísticas, perícias, talentos e uma porção de outras coisas eu deixo o livro ali e saio de fininho.

Mas nem sempre foi assim. O nosso hobby começou com jogos muito simples. O D&D Original, por exemplo, tem pouquíssimas estatísticas. Com o passar do tempo, os criadores de jogos foram querendo fazer as coisas de maneiras diferentes e foram criando sistemas bastante detalhados. E eu, admito, também. Nós somos curiosos, naturalmente, e eu quis jogar jogos mais complexos, mais avançados e não esses "joguinhos de criança". Foi assim que joguei AD&D (porque só D&D era pouco) e GURPS (que você define na ficha até se o seu personagem tem hábito de tirar meleca do nariz).

Atualmente, eu não tenho mais esses RPGs complexos na minha estante. Me livrei de quase todos. Ainda me restam alguns livros de GURPS (suplementos), um livro do D&D 4e e outras coisas do tipo. Mas um jogo completo dessa geração mais detalhada de jogos eu não tenho mais. Talvez o mais complexo mesmo, seja o A&D 1ª Edição, que possui uma porção de regras detalhando coisas específicas (como modificadores de armas contra armaduras, combate corpo-a-corpo tipo "wrestling", psiônicos e outros detalhes).

Só que o quê eu gosto mesmo da 1ª Edição é o seu clima mais pulp, sua aventuras mais porra loucas, o clima "do-it-yourself" e a questão de desafiar o jogador e não o personagem. Além disso, o sistema é tão sólido que várias dessas regras mais específicas podem ser ignoradas que o jogo não quebra e ninguém sai perdendo. O mesmo vale para acrescer regras novas. Você pode pegar coisas novas e inserir no AD&D e ele ainda funcionar como o AD&D sem problemas. Aliás, foi assim que ele surgiu. Ele é uma versão modificada do D&D Original com a inserção de uma porção de "house rules" que foram criadas, não só por Gygax, mas outros colaboradores também. Não é à toa que o material das edições da TSR e da OSR são facilmente utilizados em qualquer um dos sistemas.

Então é isso. O sistema mais complexo que eu tenho é o AD&D 1ª Edição, mas ele é complexo de opções de regras para o mestre. Ele pode ser jogado com uma simplicidade invejável para quem não se sente obrigado a usar todas as regras escritas no livro. E quanto a vocês? Qual o RPG mais complicado ou complexo que vocês possuem?

Esta postagem foi a nº 24 do #RPGaDay! A próxima é sobre um RPG favorito meu que ninguém quer jogar...


Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.