quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Minha Aventura Pronta Favorita - #RPGaDay

Se eu estivesse escrevendo essa postagem há uns 5 anos, provavelmente eu diria que não gosto de aventuras prontas, que elas são para mestres sem criatividade e que um bom e verdadeiro DM cria suas próprias aventuras. O quão tolo eu era (e provavelmente ainda sou em muitas coisas). Hoje em dia esse material é um dos que mais procuro, principalmente quando são nos moldes dos módulos antigos que descrevem um local ao invés de uma série de eventos programados.

A verdade é que nós somos um só. Não importa o quão inteligentes, criativos, cultos, inspirados que nós sejamos, somos um só e temos um número limitado de experiências. Outras pessoas, no entanto, tem uma série de outras visões e ideias que nunca teríamos ou, se tivéssemos, vários detalhes seriam diferentes. Aliando isso à minha crença de que variação e quebra de paradigmas são muito importantes para se contar um história e manter a mesa divertida, usar aventura de outras pessoas é algo que aprendi a gostar muito com o passar do tempo.

Por causa dessa mudança e meu interesse nos jogos Old School, eu passei a buscar módulos clássicos da saudosa TSR e um deles, especialmente, conseguiu um lugar de destaque na minha memória. Conhecida como B4 - The Lost City, essa aventura traz as informações de uma cidadela em ruínas no meio de um deserto (e toda uma cidade que se desenvolveu no subterrâneo), com uma civilização perdida, uma criatura Lovecraftiniana, fações, fantasmas enigmáticos, monstros e charadas para envolver os personagens dos jogadores.

Esse módulo não apresenta uma história complexa ou uma justificativa elaborada para levar os jogadores até ali. Ele foi claramente inspirado em uma história do Conan, Red Nails, e traz aquela típica situação do Conan chegando lá por coincidência e tendo que lidar com toda a situação que se monta em volta dele. Apesar disso, a história da Cidadela é bastante rica, complexa, cheia de personagens interessantes, facções que interagem entre si, se opõem e interferem com os personagens (e os mesmos podem se aliar a elas).

O meu único porém com essa aventura é o seu tamanho. Ela é enorme. Dá para se montar uma campanha em volta dela (o que não é ruim). Mas para se experimentar ela como um todo é bastante complicado por causa disso (mas eu adapto de vez em quando). A descrição da cidade, das culturas, das criaturas estranhas e o monstro Cthulhiano valem a pena.

E vocês? Quais são suas aventuras prontas favoritas?

Esta postagem foi a nº 19 do #RPGaDay! Daqui há alguns dias eu volto falando de um jogo que ainda pretendo jogar daqui a 20 anos!



Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.