quarta-feira, 4 de março de 2015

A criação de personagens no Dungeon Crawl Classics RPG

Uma espada ensanguentada cria uma aventureiro rico...

A frase acima resume bem o processo de criação de um personagem no Dungeon Crawl Classics RPG (e é a frase de introdução do capítulo de combate do livro de regras). Diferente de outros jogos em que a criação de personagens é feita inteiramente fora do jogo, tomando uma boa parte do tempo das sessões, o DCC RPG opta por uma abordagem anacrônica e faz você gastar o menor tempo possível longe da mesa de jogo, criando apenas os alicerces mais básicos do personagem e deixando ele ser criado e moldado pela experiência da aventura que ele se insere.

Os personagens começam nesse jogo com apenas o mínimo necessário para embarcar em uma aventura mortal e emocionante. Eles ainda não são guerreiros, magos, clérigos, ladrões ou qualquer outra coisa. Eles são como eu ou você, pessoas comuns, com profissões comuns mas com um diferencial, coragem para deixar essa existência patética para trás e arriscar suas vidas em uma aventura e, quem sabe, sair de lá maiores do que entraram. Em termos de jogo você, basicamente, só gera valores aleatórios para os seis atributos bases (Força, Agilidade, Vigor, Personalidade, Inteligência e Sorte), determina sua ocupação antes de partir em busca de aventuras (coisas como coveiro, coletor de impostos, soldado, sapateiro, elfo navegador, halfling cigano, anão caçador de ratos) e uma peça de equipamento aleatória. Obviamente você ainda escolhe o nome do personagem e seu alinhamento, mas é basicamente só isso.

Armado com uma arma improvisada, este personagem embarca com vários outros em uma "aventura funil" e os acontecimentos desta é o que realmente o definem e o moldam como um personagem completo. No Dungeon Crawl Classics RPG, você não passar horas criando um histórico para o seu personagem contando como ele se tornou um aventureiro, você joga esse histórico junto com seus amigos e descobre como um mero camponês começou sua jornada ao trono do reino que um dia conquistará (ou como ele morreu em combate contra criaturas que nunca imaginava existir).

O seu equipamento é formado ao longo do jogo, pelas armas que acha em seu caminho, pelos pertences de seus falecidos companheiros. A riqueza é criada por atrito e, dependendo do que seu personagem adquire, isto pode moldar seu destino, influenciando sua escolha de classe de personagem quando ele passar para o 1º nível. Da mesma forma, um personagem que entre em contato com forças sobrenaturais, livros antigos com fórmulas estranhas ou artefatos alienígenas, é bem provável que ele siga a carreira de mago, mesmo que seu maior atributo não seja Inteligência. Isso é algo que eu acho muito legal neste jogo, já que as circunstâncias moldam os personagens e eles parecem muito mais orgânicos e reais, e não montados para cumprir um papel.

Outra coisa é que você não tem um controle absoluto sobre qual dos seus vários personagens "bases" de nível 0 vão chegar vivos ao primeiro nível. Metagaming e otimização de personagens é praticamente inexistente no DCC RPG (o que pode ser ruim ou bom, dependendo de como você prefere jogar, eu gosto muito dessa restrição). Você não sabe exatamente com o que vai terminar no final e, mesmo quando o personagem não é aquele ideal que você gostaria de ter (atributos não muito altos ou até baixos), você acaba se apegando a ele não porque gastou horas o otimizando e montando o melhor personagem possível, mas porque sobreviveu a uma aventura emocionante e viu como ele, mesmo sendo pouco mais do que um homem comum, conseguiu superar desafios dignos de heróis. É uma experiência muito interessante e divertida.

Então é isso. A criação de personagens no Dungeon Crawl Classics RPG é algo diferente de tudo que a maioria das pessoas conhece e pode trazer experiências muito divertidas e diferentes para as nossas mesas. Não é atoa que muita gente tenta adaptar esse processo para outros RPGs, inclusive alguns mais novos e narrativos. Tenho certeza que vocês vão curtir tanto quanto eu!

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.