segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

3 x 3 RPGs - Mais uma brincadeira sobre RPG

Na rede social Google+, há alguns dias, rolou uma brincadeira em que as pessoas compartilhavam a hashtag #3x3RPGs e faziam uma lista de três RPGs obedecendo 3 categorias: RPGs jogados mais recentemente, RPGs que mais se divertiu e RPGs que mais gostaria de jogar. Não sei bem o objetivo original da brincadeira, mas pra mim ela serve para mostrar a diversidade de jogos existente, a variedade de pessoas que e de gostos que cada uma pode ter e aumentar o "awareness" das centenas de jogos por aí.

Sendo assim, resolvi fazer uma postagem no mesmo esquema e convidar todo mundo a fazer o mesmo, seja nos comentários aí embaixo, seja no facebook, seja nos seus próprios blogs. A brincadeira consiste em citarmos (e se você quiser, falar um pouco deles) 3 RPGs em três diferentes categoria: Os últimos 3 RPGs jogados (aqueles que você jogou a menos tempo), 3 RPGs que você mais gostou de jogar (os seus favoritos e que você tem as melhores lembranças) e 3 RPGs que você gostaria de jogar (e que não costuma conseguir jogar, seja qual for o motivo). Bem, vamos à minha lista.

3 Últimos RPGs jogados
Dungeon Crawl Classics RPG: Minha atual campanha semanal que começou a pouco tempo, depois de algumas aventuras de Bruxos & Bárbaros. Os jogadores ainda estão com personagens de nível zero, tentando a sorte grande nas ruínas da Antiga Cidade ao sul da atual Punjar. As primeiras mortes ocorreram na sessão passada mas ninguém ficou sem personagens ainda. Alguns jogadores ficaram assustados mas agora sabem que o perigo é real e tem que jogar espertamente. A campanha ma começou e já está bem emocionante. Ah, além disso, eu jogo uma mesa online desse RPG também com uns amigos lá de fora. 
Star Wars - Edge of the Empire: Além de DCC RPG, eu tenho uma mesa meio que quinzenal/mensal do novo RPG do Star Wars, o Edge of the Empire (que tem coisas do Age of Rebellion também). Infelizmente tenho tido alguns problemas de presença com os jogadores mas, recentemente, recrutei mais alguns para ver se a coisa anda. Os jogadores, atualmente, interpretam personagens que são fora da lei (contrabandistas, fugitivos, hackers, caçadores de recompensas) que se uniram pra sobreviver entre o conflito do Império com a Aliança Rebelde. Eles até são simpáticos aos Rebeldes e os ajudaram uma vez mas ainda possuem outros interesses e dívidas para pagar. Eu, sinceramente, gostei muito do sistema desse jogo e sou fã do universo do Star Wars e até tenho uma resenha dele aqui.
Bruxos & Bárbaros: Esse meu RPG em desenvolvimento (bem atrasado, admito) une minha paixão por jogos Old School e pela literatura de Espada e Feitiçaria. Com influência de vários outros jogos e diversos contos, montei o manual de jogo básico (que você pode baixar aqui) e comecei uma pequena campanha que jogamos por alguns meses. Atualmente a campanha está em um hiato, mas quem sabe ela não volta.

3 RPGs que mais gostei de jogar
Dungeon Crawl Classics RPG: Esse é o meu RPG favorito de todos os tempos. Ele é novo, de 2012, mas é capaz de ser Old School e inovador ao mesmo tempo. Contando com a bagagem de 40 anos do nosso hobby e se voltando para as inspirações literárias do primeiro RPG (o Dungeons & Dragons), o Dungeon Crawl Classics reinventa o jogo de fantasia parecendo, ao mesmo tempo, familiar e totalmente novo. Ele me faz sentir como se estivesse jogando RPG pela primeira vez novamente (e já vi várias pessoas dando o mesmo depoimento). Aqui a fantasia volta a ser fantástica, nada é como estamos acostumados e a cada cena, cada rolamento de dados, tudo pode acontecer. Quem quiser ler uma resenha completa desse jogo é só clicar aqui
The One Ring: O RPG ambientado na Terra-Média feito direito. Já tivemos o MERP e o Lord of the Rings (CODA) RPG, mas nenhum dos dois chegou próximo de fazer eu me sentir em uma aventura no mundo do Tolkien como o The One Ring. O sistema de jogo é bem simples, rápido, unificado e remete muito a questões importantes na obra do professor, como o sacrifício heróico, o companheirismo, a corrupção pelas sombras e outros aspectos. Joguei uma campanha semanal por um ano inteiro e estou louco para começar outra. Já fiz uma resenha da edição original e da edição revisada que lançou a pouco tempo, quem quiser, é só dar uma olhada.
Dungeons & Dragons B/X / Labyrinth Lord: Minha edição de Dungeons & Dragon favorita, lançada em 1981 (antes de eu nascer) e o seu retro-clone que a expandiu e a unificou (em certos aspectos) com minha segunda edição favorita, o AD&D 1ª Edição. Com um sistema simplérrimo e elegante você tem tudo que precisa para se aventurar em um mundo de fantasia, jogar todo o material da antiga TSR sem problemas e ainda ter todas as opções do AD&D 1ª Edição e todo o material de suporte que ele tem (e tem muita coisa). Se quiser ler um pouco mais sobre o Labyrinth Lord, clique aqui.

3 RPGs que gostaria de jogar
Gamma World: Um dos primeiros RPGs a serem lançados, ainda na década de 70, o Gamma World é uma evolução do Metamorphosis Alpha (o primeiro RPG de ficção científica e o primeiro jogo a vir escrito Roleplaying Game na capa). Com um sistema derivado do primeiro D&D, ele traz apenas as regras mais essenciais como base e apresenta um rico cenário apocalíptico, com mutantes, robos, armas nucleares, lasers e tudo mais que a mente fantasiosa poderia criar. É meio que uma mistura de fantasia com ficção científica pulp, e eu adorei. Queria muito jogar uma mesa desse RPG. Aliás, já falei um pouco dele aqui.
Empire of the Petal Throne: Também um jogo da década de 70, derivado do D&D original mas com um sistema de porcentagem, o Empire of the Petal Throne é comparado como a obra de Tolkien pela criação de um mundo de fantasia riquíssimo e cheio de oportunidades de aventuras. Mas ao contrário do senhor dos anéis, ele foge bastante do que aprendemos hoje a esperar de um mundo de fantasia medieval. Sem raças como anões, elfos e orcs, o jogo pega um mundo medieval e coloca monstros estranhos, alienígenas, tecnologia perdida, magia e várias outras coisas. Parece até coisa nova, não é? Mas não é. É da década de 70! 
Grimm: Grimm é um RPG da Fantasy Flight Games em que os jogadores interpretam crianças que acabaram entrando em um mundo de contos de fadas e não conseguem voltar ao mundo real. Só que não é um mundo de contos de fadas da Disney não, gente. É um mundo de contos de fada baseado nos contos originais dos irmãos Grimm e, nessas histórias, as coisas são muito mais "dark" e perigosas, são quase histórias de terror. Os personagens, por sua vez, assumem arquétipos clássicos que tem poderes ampliados nesse mundo de fantasia, como a criança popular (ótima para influenciar pessoas, chamar atenção e motivar o grupo), o nerd jogadores de RPG (que aprender até a usar magias dos livros), a criança isolada e esquisita (que é tipo um "ladrão"), o valentão (que é o guerreiro do grupo) e outras coisas. É um jogo muito legal e diferente que acho que dá uma ótima campanha curta. Bem no início do blog eu fiz uma resenha desse jogo também.

Bem, esses são os meus 9, quer dizer, 8 jogos (acabei repetindo o DCC RPG, mas não tem como não repetir). E os de vocês?

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.