sábado, 6 de dezembro de 2014

Mestre de jogo como um ator

Um mestre de jogo tem vários papeis durante o jogo (falei sobre esses papeis aqui mesmo), e um deles é o de ator. Apesar dos jogadores interpretarem os protagonistas da história sendo criada e jogada, o mestre ainda é o responsável por apresentar e assumir o papel de dezenas de outros personagens durante a sessão, desde figurantes quase sem importância até grandes inimigos e aliados dos personagens dos jogadores que têm grande impacto no desenrolar da história.

Sendo assim, aprender algumas coisinhas sobre atuação e prestar atenção em alguns detalhes na hora em que estiver mestrando (que é, essencialmente, uma atuação) podem ajudar bastantes o mestre a proporcionar uma experiência mais divertida e envolvente para os jogadores. Nada é uma fórmula mágica e pode demorar para alguém se acostumar a algumas técnicas, mas a prática é a melhor professora que podemos ter. Sendo assim, seguem algumas dicas para ajudar quem quiser melhorar essa parte mais performática de ser um mestre de jogo.

Sem vergonha: Muitos mestres se escondem atrás de divisórias, narrando as aventuras abafados pelas mesmas, saindo de trás de seu esconderijo só para mover miniaturas e rolar um dado ou outro. No entanto, outros já são mais energéticos, gesticulam bastante, se movem ao redor dos jogadores, fazendo sotaques e outras coisas que chamam bastante atenção. Não temos como negar que o segundo tipo é bem mais empolgante e memorável para os jogadores que o primeiro. Ele transmite energia e emoção. O mestre que faz isso está atuando, como um ator de teatro mesmo, e está conduzindo o jogo com o objetivo de entreter os participantes sem se preocupar se está parecendo bobo ou não. Tenha certeza de que todos sintam sua presença na mesa e não se esconda!

Levante-se: Quando você fica de pé, todos podem te ver mais facilmente e você pode olhar nos olhos dos jogadores. É muito mais fácil prender a atenção deles dessa perspectiva do que quando se está sentando atrás de um escudo. Você se torna um ponto de referência na mesa. De pé você pode fazer imitações, gestos, mostrar como criaturas e personagens se movem e outras coisas que seria impossível se você estivesse sentado. Lembre-se de se levantar, principalmente, em cenas de ação e combate em que a tensão do jogo deve ficar mais elevada.

Gesticule: Exagere na gesticulação e no movimento corporal para passar impressões diferentes de cada NPC, transmitir emoções e mostrar como as criaturas reagem às ações dos personagens. Aponte para os jogadores quando for a vez deles fazerem algo, isso chamará atenção dele imediatamente. Faço os gestos que os NPCs fariam, aperte a mão dos jogadores. Provavelmente eles entrarão na brincadeira e assumirão os papeis dos personagens.

Regule seu olhar: Se você estiver interpretando o vilão, encare os jogadores sem piscar com olhos arregalados. Se você for um NPCs amedrontado, desvie o olhar, olhe para o chão, feche os olhos. Enfim, module seu olhar ao NPC e a emoção que quer passar. Nossos olhos comunicam muitas informações. Não é atoa que dizem que eles são a janela da alma.

Sotaques e Vozes: Talvez esse seja um dos mais complicados e difíceis de se fazer, mas vale a pena tentar. Diferentes NPCs (principalmente os mais importantes e que interagem mais com os personagens dos jogadores) podem ter vozes e sotaques diferentes. Você pode até falar que o Anão tem uma voz grave como as rochas das profundezas da terra, mas você mesmo tentar simular uma voz grave passa outra sensação. Da mesma forma, sotaques podem ser maneiras muito interessantes de diferenciar personagens de origens distintas. Maneirismos e tiques, com certeza, ajudam a dar mais personalidade aos NPCs, como aquele feiticeiro que faz barulhos sibilantes como cobras. Nem sempre vamos ser perfeitos nas nossas tentativas, mas só de tentar, acreditem, faz muita diferença. Uma coisa que ajuda é prestar atenção de personagens de filmes e séries de TV e se inspirar na maneira com que falam e tentar reproduzir isso na mesa.

Palavras: A escolha de que palavras usar em cada situação e em cada personagem também é parte a atuação. Um Nobre falará com palavras bem diferentes de um camponês, mesmo se estiverem falando da mesma coisa. Da mesma forma, a maneira como um Feiticeiro relataria um acontecimento seria distinta da de um bárbaro selvagem do norte.

Ritmo e Volume: Varie o tom de voz e a velocidade de sua fala. Quando estiver descrevendo um aposento vazio e estático, fale devagar com uma voz em volume reduzido (especialmente se algo está para acontecer e dar um susto nos jogadores). Já em cenas de ação e combate, aumente o tom de voz e seja mais energético no seu discurso. O segredo é saber em que momento fazer essas transições para transmitir a energia certa para seu grupo.

Saia do palco: Já falamos de como se destacar mais e chamar mais atenção dos jogadores para entrete-los melhor, mas há momentos em que você precisa sair do palco e não chamar muita atenção. Naqueles momentos em que os jogadores estão discutindo entre si, planejando um curso de ação, fazendo aquele "roleplay" intragrupo. Aproveite esse momento para conferir anotações, mapas e tomar notas de acontecimentos.

Assim como as regras de um jogo, podemos aprender como atuar melhor e nos tornar mestres com um maior impacto na memória de nossos jogadores. Apenas precisamos nos arriscar mais e praticar. Eu não sou ator nem nada, mas depois que aprendi algumas dessas coisas percebi que melhorei bastante em manter a atenção e interesse dos jogadores.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.