sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Esquema de Aventura - O Culto ao Príncipe do Abismo

Há algum tempo, eu publiquei aqui no blog um artigo sobre como preparar aventuras com anotações rápidas e essenciais, deixando as coisas bastante abertas e livres para improvisação e interação com os jogadores da maneira que eles quiserem abordar. E foi com esse tipo de preparativos que eu comecei a desenvolver a minha campanha de Bruxos & Bárbaros (falei sobre isso neste post).

Como os meus jogadores já passaram por essa aventura (embora consequências dela ainda estão em desenvolvimento no cenário), achei que seria legal postar o que eu preparei dela por aqui, já que outras pessoas podem usá-la. Eu ainda pretendo, um dia, transformá-la em um módulo mais completo e tudo mais (quem sabe até tentar publicar em um PDF legalzinho), mas isso ainda vai demorar. A premissa inicial é bem básica: Em uma cidade grande, um culto a uma entidade do Abismo, um demônio, começa a se espalhar entre os nobres e poderosos, levando os mesmo a usar seu poder e influência para conseguirem o que querem, até que um deles resolve "sair" e busca ajuda de fora.

O Culto ao Príncipe do Abismo

Situação
Um culto demoníaco liderado por nobres influentes de uma cidade sacrifica jovens virgens gens em troca de poder e longevidade.

Localidades
Plantações: Ao redor da cidade-estado existem diversas fazendas de produtores de cereais como trigo e milho para abastecer a cidade. Seus campos forma quase que duas paredes de mata ao lado da estrada que leva ao Portão dos Viajantes.

Coração Dourado: Uma joalheria rica e conhecida na cidade por fazer as melhores peças em ouro e gemas, principalmente frequentada por nobres.

Catacumbas Antigas: As antigas catacumbas da cidade, cavadas na base da Colina Alta, sobre a qual a torre de vigia fora erguida muito tempo atrás. Há boatos de que o local é assombrado e infestado de carniçais sedentos por carne humana.

Distrito Nobre: A parte nobre da cidade tem acesso restrito e em poquíssimas hipóteses os guardas liberariam o acesso a essa área para outrem. No entanto, não é impossível adentra-la pulando muros ou por outros meios (quem sabe passagens subterrâneas). Os guardas podem estar sobre influência dos nobres participantes do culto e se omitirem.

Personalidades
Lizaedra: Nobre influente da cidade que é, na verdade, a líder do culto demoníaco. Sua idade é bastante avançada, mas sua aparência é quase jovial. Rumores dizem que ela é imortal e que apenas troca de lugar com outras mulheres importantes quando seu disfarce fica muito óbvio.

Yara: Filha de humildes fazendeiros do arredor da cidade. Sua mãe morreu ao dar luz a ela. Possui apenas 16 anos e uma aparência invejável e saudável. Ela é o primeiro alvo dos cultistas.

Phaelotheos: Nobre Eleano envolvido no culto demoníaco e que rivaliza por controle do mesmo com Lizaedra. Quando tem sua filha escolhida como próximo sacrifício ele, de repente, tem uma crise de consciência e procura secretamente um grupo de aventureiros para acabar com o mesmo e com sua rival.

Theophila: Jovem filha de Phaelotheos que é escolhida como o próximo sacrifício do culto. Ela é bela, porém bastante orgulhosa e arrogante, mas pode mudar de opinião se for salva por meros plebeus.

Partheos: Joalheiro Arthasiano que treinou com um mestre Eleano e sempre produziu jóias para importantes famílias da cidade. Recentemente ele recebeu uma oferta que não pode recusar (sobre ameaça) e forjou anéis para o culto. Ele pode ser uma boa fonte de informações.

Complicações
1) Retornando de uma viajem ou aventura pela estrada que leva até o Portão dos Viajantes, os personagens escutam gritos de socorro vindo do interior das plantações de grãos. Um grupo de cultistas persegue uma jovem (Yara) com armas e tochas. Eles se vestem como mantos e gorros (tipo aqueles da KKK) negros com desenhos estranhos e um anel com a face de um demônio canino de duas cabeças.

2) Lizaedra tem espiões pela cidade de olho em todos que interferem com seus planos e não vai gostar de ter os personagens em seu encalço.

3) Assassinos da guilda da cidade podem ser mandados em direção aos jogadores.

4) Cultistas capturados não falaram nem sobre tortura (moral 11), mas todos possuem um anel de ouro com o símbolo do culto e tem a aparência de nobres da etnia da cidade.

5) Se os jogadores forem atrás de Partheos ele demorará para falar o que sabe, pois tem medo das consequências. Há uma boa chance do joalheiro ser morto pouco tempo depois de contar o que sabe aos jogadores.

6) Para acessar o templo onde realizam os rituais dentro das catacumbas, os personagens precisaram acionar uma alavanca debaixo do esqueleto. Haverão 3 alcovas e a alavanca estará na mais embaixo. Dizeres nessa parede são "Apenas nas profundezas do Abismo há o caminho".

7) Além de cultistas, nas catacumbas existem carniçais sobre o comando de Lizaedra, vermes gigantes e 2 cachorros demoníacos de duas cabeças que parecem hienas. São "filhos" do Príncipe do Abismo.

8) Lizaedra é uma Bruxa habilidosa, mas tentará fugir se perceber que não conseguirá vencê-los.

Bem... Essas eram todas as anotações que eu tinha quando mestrei essa aventura para o grupo. Na nossa mesa haviam mais detalhes porque, como eu disse, eu estou botando elementos e ganchos de várias outras possíveis aventuras espalhados pelo jogo, fazendo ligações entre elas e outras coisas. Mas a base é essa aí, e ela dá bastante espaço de manobra.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.