domingo, 3 de agosto de 2014

O Primeiro RPG que Comprei - #RPGaDay

Mais um dia do Blogfest #RPGaDay com relatos sobre a nossa vida RPGística e, hoje, é dia de falar sobre o primeiro RPG que eu comprei. O que é um pouco complicado. Vou assumir que devo falar sobre o primeiro RPG que eu comprei com o meu próprio dinheiro e não o primeiro que eu ganhei, pois aí falaria, novamente, sobre o D&D da Caixa Preta (o primeiro que mestrei).

Pois bem, foi no ano 2000 (até esse ponto, basicamente, eu enchia a paciência dos meus pais para eles comprarem os livros pra mim), quando lançou a terceira edição do Dungeons & Dragons (que deixava de se chamar Advanced Dungeons & Dragons). Eu, ingenuamente acreditando naquele mote "new is always better", vendi meus livros do AD&D 2ª Edição e comprei os da recem lançada 3e. Naquela época, os livros não foram lançados todos ao mesmo tempo (como aconteceu com a 3.5 e a 4e) e eu tive que ir vendendo coisas aos poucos para ir comprando eles.

A terceira edição me pareceu algo totalmente inovador na época. Anões, agora, podiam ser magos! Você tinha como customizar todo o seu personagem montando ele com perícias, feats, prestige classes e tudo mais. Era um mundo de possibilidades que pareciam infinitas. Até eu começar a me deparar com tantos jogadores "Munchkins" que criavam seus personagens e já planejavam sua evolução até o level 20, com todas as feats, prestige classes e tudo mais que iriam pegar.

Eu tenho um amigo que montava personagens extremamente eficientes. Ele conseguia fazer coisas absurdas como dar 150 pontos de dano no 5º nível e coisas do tipo. Aliás, os próprios livros incentivavam as pessoas a fazer esse tipo de planejamento. Ai de você se um personagem morresse na aventura e destruisse o planejamento cuidadoso do jogador, que passou horas ou dias estudando todos os suplementos e "completes" por aí.

Mesmo assim, esse foi um dos RPGs que eu mais joguei na minha vida. Foram anos de bastante diversão e fiz muitos amigos com ele. Não me arrependo de ter jogado nem nada do tipo e provavelmente era um jogo indicado para a época em que eu estava, só não é um tipo de jogo que eu jogaria hoje em dia. Aliás, eu nem tenho mais os livros.

Então é isso aí, amanhã é dia de mais relatos. Vou ver se preparo outros postagens mais úteis para espaçar entre essas dos Blogfest.

Esta postagem foi a nº 3 do #RPGaDay! Amanhã tem mais, com o último RPG que comprei.



Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.