segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A Morte mais Memorável de um Personagem - #RPGaDay

Tirando o atraso das postagens do #RPGaDay! Vamos lá! Morte memorável de um personagen... Bem, isso é difícil de se falar quando você, praticamente só mestra e, das poucas vezes que joga, quase nunca joga RPGs em que os personagens costumam morrer (não por opção). Mas nessa GENCON 2014, eu tive bastante oportunidade para corrigir isso e tive um personagem com uma morte gloriosa e divertidíssima!

+Harley Stroh, autor de fantásticas e loucas aventuras como Sailors of the Starless Sean, Frozen in Time e Peril on the Purple Planet, ficou responsável por conduzir um Tournement de DCC RPG na GENCON. O desafio era sobreviver o maior número de encontros possível. Só tem um detalhe: A aventura era um grande "Funnel" de nível zero, só que cada jogador só controlava um personagem de cada vez (ao invés dos 3 ou 4 de costume). Cada um sendo uma pessoa comum, raramente com algum atributo especial, tendo que contar apenas com a sorte dos dados e a esperteza para sobreviver nos Seven Pits of Sezrekan!

O torneio foi sensacional. Tudo o que você precisava para jogar era um "Ticket" de 2 dólares e um espaço na mesa. Filas se formavam de bravos jogadores tentando a sorte neste desafio e mais de 200 personagens se foram. O cenário era mais ou menos o seguinte: Um mago poderosíssimo, Sezrekan, aprisionou artefatos poderosos em 7 masmorras distintas interligadas e nós estávamos lá tentando recuperá-las. Cada um desses artefatos tinha um poder quase ilimitado, mas sempre que usados eles sugavam almas de algum lugar, possivelmente de companheiros de seu grupo ou até de você mesmo. Ou seja, além dos monstros e armadilhas das masmorras, você ainda tinha que se preocupar com seus próprios companheiros mexendo com o que não deviam.

Eu, obviamente, morri diversas vezes com vários personagens (aliás, quase ganhei o torneio com um deles, sobrevivendo 7 encontros) mas a morte de um deles foi sensacional. Depois de passar de alguns desafios (derrubei um ogro enfurecido correndo atrás de mim com um frasco de óleo jogado no chão, passei por uma séria de 3 portas que ameaçavam nos cortar ao meio e superamos uma charadas sobre força e coragem, chegamos a um aposento quadrado e alagado com uma plataforma em seu centro. Sobre ela, um trono no qual sentava um esqueleto segurando uma espada de lâmina negra. No canto de cada uma das paredes havia grandes cabeças de dragões esculpidas em pedra. Eramos 3, mas carregávamos o corpo de um companheiro conosco.

Primeiramente, examinamos as cabeças de dragão e, segundo o Mestre, havia marcas de queimado nelas, nas bocas e um buraco em cada uma. Obviamente, presumi, que fogo era jogado delas assim que alguém tentasse pegar a espada. Tínhamos que fazer isso remotamente então. Minha solução: Peguei a calça de nosso companheiro abatido, passei uma perna por entre a espada do esqueleto e avisei para todos que contaria até três antes de puxar a espada. Nesse momento, todos deveriam mergulhar na água. Todo mundo na mesa achou a ideia fantástica e me apoiaram.

Contei até três e puxei... BAM! Raios elétricos saíram da boca dos dragões e todos morreram! Foi sensacional!

Essa é uma morte da qual vou me lembrar por muito tempo. É uma pena eu não ter ganho o torneio, mas foram tardes de inesquecível diversão ao lado de grandes pessoas e de uma comunidade de jogo que eu nunca vi igual! Valeu cada minuto, cada segundo do meu tempo.

E vocês? Qual foi a morte de um personagem mais memorável que tiveram?

Esta postagem foi a nº 13 do #RPGaDay! Em breve tem mais, com uma postagem sobre a minha melhor compra na GENCON desse ano! Vai ser difícil escolher uma!



Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.