segunda-feira, 9 de abril de 2012

Resenha - Cosmic Patrol - Ficção Científica Pulp

Eles já estavam chegando na estação espacial HJ-144. Já havia passado cinco dias desde que perderam comunicação com os Patrulheiros que viviam ali e o quartel general pediu para que a nave do capitão Thavis fosse averiguar o que acontecera.

Eles aportaram no convés principal da estação, que estava estranhamento deserto. Nenhum sinal de qualquer pessoa no local. Thavis e o resto de sua tripulação desembarcou e começou a busca por sinais do que haveria acontecido. Será que a estação fora atacada pelos nojentos homens lagartos? Será que alguma descarga eletro-magnética da estrela Hilfaren fez com que todos os tripulantes fossem mandados para uma dimensão paralela? Ou será que, simplesmente, nunca houvera ninguém na estação HJ-144?

Cosmic Patrol é uma RPG de ficção científica retrô, baseado nas histórias de como seria o futuro na década de 40 e 50. É um universos inexplorado, cheio de mistério, alienígenas estranhos e oportunidades a serem exploradas. Ele possui um sistema bem simples para resolução de ações, baseados em atributos e uma mecânica narrativa bastante interessante.

Escrito por Mark Heerdt, o livro tem 136 páginas em preto e branco, com capa colorida. Em seu interior, há algumas ilustrações bem legais, mas senti falta de mais ilustrações por todo o livro (principalmente de naves). Mas no final os autores indicam certos artistas clássicos dessa estilo de ficção que podem (e devem) ser usados como referência. As páginas são pequenas (quase como um A5) e a leitura é bastante rápida e fluida.

A primeira parte do livro é um conto que trás a história de um grupo de patrulheiros (os personagens são membros da Patrulha Cósmica - Comsic Patrol) que encontra um equipamento proibido em um asteroide e seus contrabandistas. É uma história bem legal que retrata bem o clima de exploração, aventura e ficção-científica louca sem nenhum compromisso com a verdadeira ciência. A história retrata bem o cenário e os personagens típicos do jogo, os terráqueos, os marcianos, e o venusianos.

O primeiro capítulo, após o contro introdutório, é um típico capítulo sobre o que é RPG, o que se precisa para jogar, e essas coisas. Aqui já se fala sobre o papel rotativo de ser o narrador, que será mais bem explicado posteriormente. É uma boa introdução, e frisa bem que o importante é a imaginação e a diversão e não, necessariamente, a fidelidade à realidade ou os resultados de dados.

Em seguida, vem o capítulo da ambientação do jogo. Nele é contada toda a história de como os homens da Terra começaram sua exploração espacial, como entraram em contato e, posteriormente, formaram uma aliança com os homens de Merte e Vênus e como esses três planetas formaram a Patrulha Cósmica para explorar o grande universo e defender os planetas mãe dos perigos na escuridão entre as estrelas. Há descrição sobre os tipos de naves que a patrulha usa, os tipos de armas (Terráqueos preferem armas de raios, marcianos preferem usar seus confiáveis machados e venusianos, bem se eles não tiverem opção, usam suas armas de fase), os planetas, as regiões conhecidas e desconhecidas das galáxias, os tipos de alienígenas que se tem conhecimento e outros detalhes do cenário. Apenas com esse capítulo você já consegue imaginar diversas aventuras divertidas e excitantes paras algumas tardes, isso sem contar que você pode inventar qualquer coisa louca, já que ainda existem muitos lugares desconhecidos no universo!


O capítulo seguinte é o que trás as regras do jogo, que são bastante simples, diga-se de passagem. Primeiramente é explicado os elementos das fichas dos personagens, que são compostas pelos atributos, características, dicas, disposição, armadura, saúde e equipamento. Os atributos são Brawn (que é um atributo físico de resistência e força), Brain (funciona como intelecto), Charisma (um atributo social), Combat (usado para, bem, combates), um atributo especial que você escolhe para o que se aplica (como uma especialização) e sorte (um número de 1 a 12 que se você rolar no dado garante um sucesso automático). O sistema de resolução de ações utiliza basicamente esses atributos para tudo. Rola-se 1d12 mais um dado correspondente ao seu atributo (que pode variar de 1d4 a, raríssimas vezes, 1d12) e compara-se com o resultado de 1d20 ou o rolamento de um oponente. As características, dicas e disposição dos personagens servem para você ter uma ideia sobre quem ele é, como ele parece, como ele pensa, como age, o que pretende e esse tipo de coisa. É possível você pegar o personagem de outra pessoa e identificar rapidamente como interpretar aquele personagem. Armadura e Saúde são elementos que são derivados dos atributos principais e são principalmente usados em combate. Há, no entanto, liberdade para se mexer neles a fim de torná-los mais condizentes com o tipo do personagem, por exemplo diminuindo a armadura de um marciano para dar-lhe mais Saúde (marcianos são como bárbaros, pouca armadura e muito músculo). Quanto a equipamentos e armas, não há uma lista fixa para eles. Os jogadores são encorajados a criar os seus próprios, com nomes bem esquisitos, típicos de filmes de ficção-científica antiga como transformifugador de eletrons, pistola de íons positivos e outras coisas. E você pode até criar coisas que você não faz ideia do que elas fazem para então inventar uma utilidade para elas durante o jogo.

Esse capítulo ainda introduz uma das coisas mais legais do jogo, a narração em rodízio. Em Cosmic Patrol, as aventuras, geralmente, são missões vindas do quartal general da Patrulha Cósmica. Essas missões possuem um pequeno resumo do que aconteceu, e do que precisa ser feito, com algumas sugestões de cenas e obstáculos para o grupo. Cada jogador escolhe um personagem e cada um narra uma cena diferente, de acordo com a missão e o que aconteceu anteriormente. Nada impede, é claro, que um narrador fixo seja escolhido (o livro, inclusive, fala sobre essa possibilidade), mas esse sistema de rodízio pode ser bem divertido e dá a oportunidade de todos participarem mais ativamente da construção da história, isso sem falar que as coisas podem mudar de uma hora para outra, quando cada narrador decidir dar uma sacudida nas coisas. O jogo ainda possui um sistema de pontos de narrativa (plot points) que permite aos jogadores mudarem coisas na história, inventarem detalhes científicos das coisas (lembra dos equipamentos) e, basicamente, criar elementos narrativos no meio do jogo.

A seguir, o livro possui um capitulo com vários personagens prontos, junto com NPCs e vilões que podem ser utilizados rapidamente, para quem quer jogar logo. É muito útil, também, para quem quiser criar sues próprios personagens ou outros oponentes. Cada um possui uma história e características diferentes, formando uma gama bem interessante para ser utilizada na mesa.

O último capítulo trás uma série de missões prontas para serem utilizadas na mesa. Essas missões são de variados níveis de complexidade e podem render sessões bem rápidas e outras um pouco mais demoradas. De cara dá para perceber que não se precisa de muito para criar essas aventuras, apenas de um pouco de imaginação e uma ideia legal.

Por fim, há ainda uma série de referências bibliográficas, cinematográficas, iconográficas entre outras. São ótimas fontes de consulta e referências para você entrar mais no clima e roubar ideias para suas sessões.

Cosmic Patrol é um jogo de regras bastante leve e soltas, que foca muito na narrativa, diversão e aventura no estilão dos filmes de ficção-científica de antigamente. É um jogo que pode ser jogado quase sem preparação nenhuma. Se você estiver esperando um sistema bem definido com regras claras de como conduzir combates de espaçonaves, de como acertar no olho do inimigo ou coisas assim, talvez esse não seja o jogo para você. Mas se você quiser ter uma tarde de aventura descompromissada, explorando mundos bizarros e encontrados criaturas estranhas, sem se preocupar com detalhes mecânicos e dando boas risadas, Cosmic Patrol é um ótimo RPG.

Você pode comprar esse jogo em PDF aqui por cinco dólares ou comprar a versão de árvore morta no site dos caras (http://www.cosmicpatrol.com/). Lá você vai achar um monte de outras coisas legais como previews dos próximos lançamentos, fichas de personagens e missões e uma seção para contos baseados no jogo.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.