sexta-feira, 20 de abril de 2012

Post Convidado - A importância do PDM "Peculiar"

A postagem de hoje é de autoria de um amigo RPGista. O nome dele é Luciano Dodaro e ele é um dos fundadores de um grupo novo de RPG aqui no Rio de Janeiro, o Dungeon Carioca. Esse artigo é sobre a criação e utilização de NPCs (ou PDMs, como ele se refere).

Na minha opinião a criação de PDM's é a contribuição mais saudável que o mestre dá ao jogo. Sei que o livro dos monstros (principalmente se você tiver vários volumes e suplementos) tem PDM's prontos para ocupar os personagens por longos e longos períodos, mais um PDM detalhado é a cereja do bolo de qualquer campanha.

Jogadores tendem a dar mais seriedade quando aquele estranho que quer compartilhar a fogueira e comida na estrada, tem nome e peculiaridades. "Meu nome é Danthos da casa dos Redwines. - Diz o humano de pele acobreada com uma cicatriz que rasga desde a sombrancelha direita até a ponta do queixo."

A desconfiança que uma cicatriz gera pode acabar na primeira espadada que o estranho dá no monstro errante que veio atrapalhar o descanso dos aventureiros. Dali ele vira um aliado, até 2 ou 3 sessões depois eles descobrirem que Danthos estava indo ao encontro do arqui-inimigo dos jogadores afim de emprestar sua espada em troca de ouro. O estranho da cicatriz agora é um inimigo.

Viu como é bem melhor os jogadores enfrentarem Danthos da casa dos Redwines, o viajante da cicatriz, do que simplesmente abrir o livro dos monstros e anúnciar que os personagens estão prestes a enfrentar um mercenário qualquer (ou humano bandido).

Segue abaixo uma pequena tabela improvisada com 20 possibilidades de peculiaridade:

1.  Cicatriz
2.  Vesgo
3.  Problema de pele
4.  Um dedo faltando
5.  Nariz avantajado
6.  Orelhudo
7.  Corpo Grande
8.  Manco
9.  Corcunda
10. Pele escura
11. Sinal de nascença no rosto
12. Voz gultural
13. Roupas estravagantes
14. Escarra a todo momento
15. Tique nervoso
16. Gesticula muito
17. Respiração pesada
18. Rosto de criança
19. Voz fina
20. Baixinho

É lógico que não necessáriamente há a obrigação de rolar dados, a tabela pode servir simplesmente para um auxílio rápido, com pdm's não programados. Creio que AD&D tinha uma tabela semelhante, talvez até mais completa no livro do mestre, mas o post não é para auxiliar na criação de PDM's mais detalhados, e sim ressaltar sua importancia.

Mas nada funciona sem organização. O PDM especial e peculiar deve ter sua ficha própria ou que ela ao menos seja destacada dos PDM's "mundanos". Deve ficar guardada e ter espaço para um pequeno diário que guarda a interação desse PDM com os jogadores. Lá na frente, quando a criatividade faltar ou estiver abundante, recorrer ao fichario de PDM's "peculiares" vai ser uma mão na roda. Aquele gancho para a próxima aventura pode ser entregue pelo aldeão salvo naquela aventura dos esgotos. Informações importantes que os personagens perderam na última sessão pode ser entregue por uma ave enviada pelo comerciante que contratou a escolta dos personagens há algum tempo. Aquele mercenário que salvou os personagens do calabouço do gigante agora está em apuros e precisa de ajuda. Ou o Danthos Redwine (que já salvou a vida dos personagens naquela noite) agora lidera uma pequena milícia e ameaça o vilarejo do Taverneiro que sempre oferece abrigo e comida gratuita para os Jogadores. E agora? Cross over de dois PDM's "peculiares"... Dois aliados dos PJ's. Vamos ficar do lado de quem?

Um fichário de PDM's "peculiares" pode salvar a aventura e cumprir o papel de "mestre dos magos", já dizia aquele narrador gordinho de mochila surrada, óculos fundo de garrafa, de voz fina e camisa do Metallica...
Bastante interessante, não é? Eu admito que uso esse tipo de estratégia diversas vezes. Muitas vezes introduzo um NPC na campanha sem ter, exatamente, pensado qual será o seu papel na estória, apenas para depois perceber que ele se encaixa perfeitamente em uma situação e utilizá-lo. As vezes, resgato do esquecimento um personagem que o grupo encontrou a meses atrás e é muito divertido ver a expressão de surpresa e lembrança na cara dos jogadores quando dizem: "Ih, é aquele cara que encontramos na taverna no inverno passado!". E vocês, já tiveram alguma experiência divertida e interessante com NPCs em suas campanhas?