terça-feira, 3 de abril de 2012

Dados, Aleatoriedade e Criação

Dados sempre foram importantes na imensa maioria dos jogos de RPG, eles são importantes para se definir uma série de coisas, principalmente o resultado das ações dos personagens. Mas parando para reler alguns jogos mais antigos (principalmente as primeiras edições de D&D), é fácil perceber que o papel deles era muito maior uns anos atrás.

Talvez seja uma certa paixão por dados, mas, nos jogos mais antigos, muitos aspectos do jogo dependiam de um rolamento deles, desda criação dos personagens, passando pela reação das pessoas que eles encontrassem, até a criação de cenários e aventuras. Isso, além de ser divertido, pois você não sabe o que esperar, envolve uma certa aceitação e incorporação do risco no jogo, como se cada um desses rolamentos fosse parte de uma mini aventura.

Talvez esse seja um dos elementos que mais caracteriza os jogos de antes, a aceitação do caos e da aleatoriedade na mesa de jogo. E isso valia tanto para os jogadores quanto para os mestres. Esse podia criar uma estrutura básica de uma aventura, mas jamais teria como prever como as coisas iriam se desenrolar, pois cada novo encontro ou lugar a ser explorado podia conter qualquer coisa.

Isso pode parecer limitante para o narrador ou até um mecanismo desinteressante, mas na verdade pode funcionar como algo que estimule o mestre a criar coisas na hora com base naqueles resultados surpreendentes. Ele tem que se adaptar as novas situações que aparecem, assim como os jogadores, e isso pode ser um ótimo exercício para criatividade.

Muitas vezes, nesse tipo de jogo, a história se forma por meio de uma síntese de preparação, aleatoriedade e improviso e não algo totalmente preparado com um roteiro a ser seguido. Talvez seja por isso que algumas pessoas acham que as aventuras desses RPGs sejam chatas e sem sentido. No entanto, esse aspecto do jogo é muito similar ao que acontece na nossa vida. Nem tudo faz sentido em nem deve fazer. Muitas aventuras são apenas eventos aleatórios que acontecem e cabe a cada um dar sentido a eles em sua vida ou, no nosso caso, aventura. Nem tudo precisa fazer sentido, algumas coisas podem ser chatas, dolorosas, mortais ou mesmo recompensadoras.

É importante que cada um que tente jogar esse jogos se desprenda da noção de que tudo é planejado e tem um sentido no final. Além disso é de bom grado que todos tenham uma boa dose de criatividade e rápida reação, dessa forma, essas experiências aleatórias podem ser muito satisfatórias e divertidas, porque o resultado é totalmente inesperado.

Então, a próxima vez que estiver jogando esse tipo de RPG, confie nos dados. Eles podem te levar a lugares que você jamais pensaria sozinho. E se você não gostar do destino, você sempre pode rolar mais dados.

É importante esclarecer que essa não uma maneira mais certa ou mais legal de se jogar do que qualquer outra. É apenas uma maneira diferente que pode ser divertida da sua própria maneira. É importante conhecermos diversos jogos diferentes a maneira como eles são jogados para sabermos qual deles mais gostamos. Não existe a maneira mais correta de se jogar, apenas aquela que você mais gosta.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.