sábado, 31 de dezembro de 2011

Ano Novo e Passagem de Tempo no RPG

Coincidentemente, o ano novo chegou agora, e chegou há pouquíssimo tempo na campanha de The One Ring que eu mestro. Na aventura aconteceu uma grande festa na cidade de Dale com participação dos anões de Erebor. Isso me fez pensar em como a passagem do tempo, dias, meses e anos são retratados nos jogos que já participei e mestrei.

Na maioria das vezes a passagem do tempo é quase que esquecida. Dias passam normalmente, é claro, mas geralmente pouco se fala sobre o mês e o ano em que a aventura se passa ou a estação. E mesmo quando esses detalhes são mencionados raramente vemos alguma mudança. Talvez não tenha participado de campanhas tão grandes assim ou não tenha sido um bom mestre por algum tempo, mas apenas recentemente passei a dar uma importância maior à passagem de tempo no jogo.

Se bem utilizado a mudança dos meses e estações podem ter um valor narrativo bem interessante. Sem contar que torna a imersão mais fácil por tornar aquele mundo mais real e consistente. Aventuras durante o inverno tendem a ser mais sombrias, desesperadas e misteriosas. As noites são mais longas e uma neblina pode cobrir a paisagem por onde a aventura acontece. A natureza parece sóbria e em tons de cinza e azul. As árvores estão secas e os animais encolhidos em suas tocas. Aventuras na primavera podem ter um clima mais esperançoso, uma sensação de renascimento e de recuperação de algo que fora perdido. Lembre de descrever como a natureza se recupera do inverno, arvores, flores e uma vegetação exuberante vem ressurgindo com suas cores do inverno cinza. Os animais voltam a aparecer e provavelmente estarão buscando comida. No verão a natureza estará em seu auge. As cores predominantes serão mais vivas e quentes. Mais pessoas são encontradas durante as viagens e mais animais podem ser vistos em seus habitats. Aventuras durante o verão podem ser mais sociais, ou alguma que envolva bastante viagens. O outono é a estação em que o sol e o calor começam a ceder para o frio e a escuridão. Simbolicamente relacionada com a morte, essa estação tem como cores predominantes o laranja, o marrom e o cinza. Nessa época a vegetação perde suas folhas e a comida vai ficando escassa. O inverno vem chegando e o frio também. É interessante para passar um clima de algo que está desaparecendo, ou algo ruim que pode estar começando a aparecer.


Outro aspecto da passagem do tempo legal de se usar nas mesas são os feriados e dias especiais. Volte e meia algumas aventuras começam com esses acontecimentos. Festivais de colheita, dias santos e outros. Geralmente algo de ruim acontece nesses dias e os heróis tem que resolver a situação. E nos anos seguintes, o que acontece nesses dias? Como eles são lembrados? Parece que não se comemora os mesmos feriados durante os anos. Para controlar melhor essas datas, o ideal é ter um calendário em mãos. Assim você pode contar a passagem do tempo pela aventura a saber quando um feriado está chegado e poder repeti-lo no ano seguinte. Se um desastre aconteceu em um dia de comemoração a alguns anos, como esse dia é visto na época em que a campanha se passa. É legal pensar nessas coisas e mostrar aos jogadores como a cultura do mundo se forma e se modifica. Talvez algum grande feito deles possa virar um dia sagrado também, e durante anos eles serão lembrados e louvados por salvarem aquele povo.

A passagem do tempo é importante também para sabermos a quanto tempo os personagens estão se aventurando e quanto anos eles têm. Isso mostra para eles o quanto eles cresceram e evoluíram pelo tempo. Além disso essa passagem mostra como as coisas mudaram e qual a importância da participação deles na história. Deixa claro as consequências de suas ações, sejam elas boa ou ruins.

Tudo isso deixa o jogo mais envolvente e imersivo. Os jogadores passam a olhar aquele mundo imaginário como algo real e vivo. Onde os acontecimentos tem importância e podem mudar o mundo. Em resumo, deixar claro que o tempo passa e que as mudanças são perceptíveis e deixam marcas é uma ferramenta narrativa muito interessante e pode ser usada por qualquer um, mesmo em aventuras pequenas, basta que em termos de história ela se passe em um período mais longo.

E vocês, como usam a passagem do tempo em suas mesas? Alguma dica para compartilhar conosco?