terça-feira, 30 de outubro de 2012

Um Ótimo Retrato de D&D na TV - Freaks & Geeks

Sem dúvida, já houve diversas representações e aparições de RPGs, especialmente D&D, em filmes, séries de TV e outros programas. Algumas mostrando o jogo como apenas uma curiosidade ou piada. Outras mostrando um relato distorcido e prejudicial do nosso passatempo favorito. Mas ocasionalmente aparecem algumas produções que retratam o jogo de forma muito boa e até engrandecedora.

No caso, um dos retratos mais legais que eu já tive a oportunidade de ver nas telinhas apareceu no último episódio da série "Freaks & Geeks". Essa série se passa em uma escola nos anos 80 e mostra o dia a dia de adolescentes, seus problemas, romances, e tribos (nerds, atletas, populares, encrenqueiros, punks). Um dos personagens principais é o Sam, um típico nerd (como muitos de nós). Baixinho, franzino, apaixonado por uma "cheerleader" (que é uma menina superfícial), ele joga D&D com seus amigos, mas, neste episódio especificamente, estava pensando em parar de jogar, porque estava cansado de ser chamado de "geek".

Acontece que ele faz parte do clube do audio-visual da escola, que lida com os projetores, tvs, video-cassetes, junto com seus amigos nerds e jogadores de RPG. Além disso, um dos "punks", (considerado um cara popular, que chama atenção, atrai meninas e tudo mais) entrou no clube também como forma de punição por uma encrenca que tinha arrumado na escola. Assim, esse cara, que nunca teve contato com o universo nerd, nunca tinha ouvido falar de RPG, acaba se envolvendo com os garotos "geeks" e é convidado a jogar uma partida de D&D.

O episódio monstra como o grupo acaba interagindo, se conhecendo, e se divertindo juntos. No começo, Daniel (o punk) parece achar tudo muito esquisito. Pergunta o que é uma "Dancing Sword" e quando explicam até acha legal e é nesse momento que chamam ele para jogar. Vendo que o cara "popular" vai jogar, os nerds quase não acreditam e isso faz com que Sam decida jogar também. Quando chega na hora do jogo, todos estão ao redor da mesa e o DM estrás de um forte em minuatura e uma DM screen. Daniel tem que fazer seu personagem, e aí vem um dos meus momentos favoritos, ele tira resultados que ele não esperava e que não o agradam inicialmente, e acaba criando um anão. Só que, no decorrer do jogo, ele se diverte demais com seu personagem, "Carlos, o Anão", e salva a princesa no final, com direito a Roleplay e tudo (algo bem old school isso de aceitar a sorte dos dados e se divertir mesmo assim).

No final, todos se divertem pra caramba, rolando dados, imaginando coisas, comendo biscoitos e "junk food". O cara "legal" conhece os nerds e vê que o que eles fazem também é muito divertido. Ele ainda pede para jogar mais no dia seguinte. É uma história muito legal. Para mim, uma das melhores representações de RPG já feitas em TV ou cinema. Pena que esse episódio não foi ao ar originalmente, sendo exibido somente depois (e agora só disponível em DVD). Ah, para quem quiser conferir a série, ela é muito boa, divertida e tem momentos comoventes mesmo. Quem só quiser ver esse episódio, ele é o 18º (último episódio) da primeira e única temporada da série.

Abaixo tem um clipe que mostra somente as cenas relacionadas à sessão de D&D que eles jogaram. Ela tem as melhores cenas e momentos memoráveis de "Carlos, o Anão".



Bem, espero que tenham gostado tanto quanto eu. Essa série é muito boa e tem diversos artistas que se revelaram a partir dela, como James Franco, o Seth Rogen, o Jason Segel, e outros.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.