sábado, 28 de julho de 2012

Jogando RPG no Google Hangout

Há pouco tempo eu conheci um RPG chamado "Dungeon Crawl Classics" (conhecido como DCC RPG). A proposta do jogo era a de reviver os momentos clássicos dos jogos de fantasia e recriá-los com base nos livros de fantasia pulp (o famoso apêndice N do AD&D). O sistema dela é uma mistura dos D&D clássicos com algumas mecânicas novas da terceira edição (AC ascendente, testes com nível de dificuldade, jogadas de proteção de fortitude, reflexo e vontade), e coisas totalmente novas, pensadas exclusivamente para o jogo, a fim de deixá-lo mais caótico e mais no clima dos livros de fantasia pulp. Embora eu ache que o jogo mereça uma resenha (que farei em breve), essa postagem não é para isso.

É para falar da primeira sessão que joguei online no Google Hangouts, que foi de DCC RPG. Para quem não conhece, o Google+ (a rede social do google) tem um aplicativo de video-conferência e bate papo chamado Hangouts. Ele é similar ao Skype, mas com a vantagem de não precisar instalar nenhum programa na sua máquina, você fala direito pelo browser, com suporte para vídeo e tudo. Além disso, ao contrário do que acontece com o Skype, mesmo tendo mais de duas pessoas no Hangout, o vídeo fica ativo para todas as pessoas, assim, você pode jogar com seus amigos, online e ainda ver a cara deles quando seus monstros matarem os personagens deles (sim, isso faz toda a diferença). Sem contar que isso ajuda bastante na hora de interpretar personagens, já que você pode fazer gestes, caretas e coisas do tipo.

Além disso, existe um aplicativo para o Google Hangouts chamado Tabletop Forge (que teve uma campanha de financiamento coletivo recentemente). Ele ainda está na versão Beta, mas já oferece uma série de recursos úteis, como rolador de dados, compartilhamento de imagens, grid de combate, utilização de tokens, compartilhamento de documentos, entre outras coisas. Tudo isso serve para deixar o jogo mais envolvente, e integrado. As pessoas vão poder ver o resultado das rolagens de todo mundo no mesmo programa, ver imagens que ilustram as cenas e dão um clima à aventura podem ser mostradas para todas as pessoas ao mesmo tempo, usar mapas que tiverem feito ou baixado da internet para representar combates e muitas outras coisas.

De forma geral, a experiência foi muito boa e com bastante similaridades com um sessão normal, já que todo mundo estava se vendo, com exceção de um jogador. Mas tem algumas diferenças importantes, que podem, de certa forma, atrapalhar um pouco o andamento do jogo. Por isso vamos mudar algumas coisas para as próximas sessões. Como, assim como eu, muita gente não tem experiência com RPG online (sem ser MMO), achei que seria legal compartilhas algumas dica e sugestões para deixar essa experiência mais divertida e fluida.

Reúnam-se Antes: Antes de marcarem a sessão para jogar mesmo, tentem marcar um encontro nas mesmas condições que será a sessão online, com todos os programas, documentos e outras coisas abertas. Isso vai servir para que todos se familiarizem com as ferramentas. É importante, também, para que todos testem seus microfones, câmeras, som e tudo mais que vai ser usado na sessão. Vejam se conseguem compartilhar as fichas de personagem, imagens. Se conseguem desenhar mapinhas no grid de combate e se todos conseguem ver. Isso tudo é útil para que você não perca tempo de jogo, no dia da sessão, para testar todas essas ferramenta.

Imprima o que Precisa: Eu cai na tentação de achar que conseguiria usar todos os meus PDFs abertos no computador, sem precisar imprimir nada, enquanto jogava. Achei que ia ser simples só ficar trocando de janela e usar as funções de anotação para o que precisasse, mas não é. É muito mais fácil ter esse material na mão, impresso para consultar sem precisar ficar perdido com várias e várias janelas abertas. Sem contar que, quando você está alternando entre as janelas, você só vai enxergar uma delas de cada vez, com tudo impresso (ou uma boa parte) você vai poder ver várias coisas ao mesmo tempo, sem alternar entre janelas. É bem mais rápido e prático.

Utilize Documentos Compartilhados: O google oferece um serviço chamado google docs que é bem legal para colocar as fichas de personagens. Eu ainda aconselharia imprimi-las para vizualização mais rápida dos detalhes, mas o google docs é um bom lugar para se registrar os PVs perdidos, as Jogas de Proteção e os efeitos afetando cada personagem.

Evite Testes Demais: Uma das diversões de se jogar RPG é rolar aqueles dados estranhos em diversas situações. E isso é bem legal quando estamos todos ao redor da mesa observando o dado rolar, rolar, rolar até cair em um resultado. Há uma certa expectativa, suspense ou algo assim. Só que quando jogamos online, não vemos o dado rolando, não seguramos o dado. Grande parte da diversão dos rolamentos se perde, já que só clicamos em algo ou digitamos uma linha de comando para gerar um resultado. Por isso, talvez seja melhor evitar alguns testes, como de arrombar porta, que os jogadores conseguiram eventualmente se continuarem tentando. Assuma que eles passam algum tempo até conseguirem o que querem, que erreram algumas vezes antes de conseguir. Se eles, por exemplo tiverem uma destreza muito alta e estiverem tentando fazer algo que uma pessoa habilidosa teria bastante facilidade, deixe ele fazer aquilo sem rolar nada. Se descreverem muito bem aonde estão procurando a passagem secreta, de forma que não teria como não acharem, não exija o rolamento. Deixe o jogo fluir.

Role Dados de Verdade: Essa é principalmente útil para os mestres. Vários rolamentos, como percepção, surpresa, tentativa de furtividade e outras coisas, são jogadas secretamente pelo mestre. Esses dados você pode e deve continuar rolando com seus dados, sem ser no rolador online. Acredite, é muito mais rápido e evita que as pessoas vejam (sem contar que é muito mais divertido do que apertar um botão). Se seu grupo for maduro o suficiente, pode ser que queiram tentar usar seus próprios dados em casa mesmo. Isso muda muita coisa e permite que a dica anterior seja revista, mas é bastante raro.

Use Imagens: Eu, particularmente, tento usar imagens sempre que possível (mesmo em sessões ao vivo). Em uma sessão online, acho que é ainda mais útil e importante, já que a imersão é facilmente quebrado com uma espiadinha no Facebook, lida de email e outras coisas. Se você compartilhar imagens, mapas, e outros "props" virtuais, os jogadores vão tender a se dispersar menos. Com a facilidade de se navegar na internet e fazer uma busca rápida no google, isso fica bem fácil.

Ordem de Fala: Tente estipular uma ordem para os jogadores falarem. Parece meio rígido e artificial, mas como o som de todos vem pelo menos canal de audio, se muitas pessoas falarem ao mesmo tempo, fica quase impossível compreender o que está acontecendo. Estabelecendo uma ordem previamente (e respeitando-a) o jogo fluirá melhor e menos confuso.

Use também o Chat: Os recursos de conversa de voz são muito úteis e facilita bastante a narração, mas você pode usar o chat também para passar algumas informações rápidas para o grupo, principalmente quando alguma pessoa estiver falando e você não quiser interrompê-la. Pode descrever sensações (medo, terror, alívio), pode chamar atenção para algo, dizer que quer falar em seguida e outras coisas. É bom avisar para as pessoas ficarem de olho no chat, também.

Sessões Curtas: A facilidade de se dispersar na internet é muito grande, por isso é melhor que os jogos online sejam de sessões não muito longas. Se passarem de três horas, é bom programar um intervalo para as pessoas descansarem.

Bem, essas são só algumas dicas iniciais. Estou começando nessa empreitada de jogos online agora e sempre vamos encontrar alguma coisa que pode melhorar. Essas sugestões nasceram de uma conversa com o grupo após o jogo. Ainda estamos começando, mas, pelo visto, parece ser uma opção muito legal para quem está sem grupo perto de casa e para quem quer jogar mais e com pessoas distantes. E vocês? Tem alguma dica para compartilhar conosco?

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.