sexta-feira, 22 de maio de 2015

O Encontro "Você deve ter esta altura para andar na montanha russa"!


Uma das coisas que eu mais curto nos jogos Old School em geral, é o intuito de serem desafiadores aos jogadores, e não somente aos seus personagens. O que eu quero dizer com isso? Bem, é que ao invés de se preocupar somente em enquadrar o nível de desafio da criatura ao nível dos personagens para que ela seja desafiadora em termos de regras, o legal é desafiar os jogadores. Assim, uma criatura que seja muito acima do nível dos personagens dos jogadores pode ser enfrentada se os jogadores em si agirem com esperteza, criatividade e atenção.

Por exemplo, um grupo sendo atacado por terríveis criaturas de gelo, resistentes às armas normais que empunham e em número muito superior seria facilmente derrotados por estas. No entanto, se eles lembrarem de tentar usar suas tochas ou empurrar as criaturas para a fogueira, as coisas ficam muito mais fáceis. Criaturas de sombras que rasgam a pele das pessoas podem ser praticamente invencíveis, mas os jogadores poderiam mantê-las afastadas até o amanhecer em um local com bastante iluminação. Bem, vocês entenderam o que eu quero dizer. São desafios que, estritamente pela letra da lei, digo, regras, os personagens dificilmente conseguiriam enfrentar mas que, se os jogadores pensarem direito e raciocinarem dentro da ficção do jogo, eles conseguem superar.

Esse tipo de encontro, principalmente se usado logo do início da aventura, pode estabelecer um clima bem empolgante para o jogo e deixar claro para os jogadores que eles são importantes, provavelmente mais do que as habilidades nas fichas deles. Uma vez eu ouvi o +Jim Wampler, do podcast Spellburn, falando deste encontro como aquele medido de altura que uma criança precisa passar para andar na montanha russa, e isso é bem apropriado! Se os jogadores não conseguem superar desafios se não pelas ações de sua fichas, talvez eles precisem aprender um pouco mais.

Eu acredito fielmente que é responsabilidade de todo mestre de jogo criar esse tipo de encontro que force os jogadores a olharem além de suas fichas de personagem, de term influência diretamente no jogo e ver que importa sim que sejam eles que estejam jogando aquele jogo e que se não fosse por eles terem pensado e criado uma nova maneira de lidar com a situação, suas fichas não fariam aquilo sozinhas. As estatísticas e mecânicas de jogo devem ser apenas os meios para as soluções que eles criarem para os problemas que enfrentam e não as soluções em si (é claro que um encontro ou outro em que eles possam exibir seus poderes legais não faz mal).

No começo, pode ser que o grupo tenha muitas dificuldades e até umas mortes (ou Total Party Kills) mas eles se sentirão desafiados e motivados e melhorar. Quando eles perceberem que há maneiras mais fáceis, mais criativas e que dependem somente deles para conseguirem o que querem, se sentirão muito mais realizados e empolgados se tivessem apenas escolhido bater com suas espadas e usar suas magias normalmente.

Tentem algo assim e deem um retorno da experiência!

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.