sábado, 14 de setembro de 2013

Bruxos & Bárbaros - Culturas - Zartarianos

Chegamos ao fim das apresentações das culturas iniciais do Bruxos & Bárbaros. Ao todo são 10 povos distintos para dar um toque especial para cada personagem, cada um com suas próprias características, história, costumes, organização, e muito mais. Para quem não está acompanhando, foram disponibilizados novos arquivos, com algumas correções para o Jogo Rápido do Bruxos & Bárbaros - O Crânio de Tuhan. Enquanto isso, eu vou continuando a traduzir minhas anotações em algo apresentável, trazendo o conteúdo que vira no próximo Jogo Rápido e na versão final do jogo. Já vimos como será a Geração de Atributos e Augúrios, trouxe as culturas Arthasiana, Athiggnu, Eleana, Kollichiana, OngkheseanaRavinaiRumânica, Solsonnir, e Ungawa, assim como as Complicações, que dão um toque especial ao personagem.

Hoje, finalmente, trago os Zartarianos, o povo dos Reis-Bruxos que dominaram diversas outras etnias por milhares de anos por meio do grande Império Zartar. Hoje em dia, os poucos que restaram vivem sobre a sombra de um passado glorioso, marcados para sempre pelas escolhas de seus ancestrais. O sangue que corre na veia desses homens é mulheres tem um forte poder arcano, fazendo-os ter uma ligação natural com a arte da feitiçaria, e a aparência característica desse povo não deixa ninguém esquecer o seu passado sinistro. Agora, eles procuram ou por redenção, ou por reconstruir aquilo que perderam.

Zartarianos

Chamados de o Povo Esquecido, os Zartarianos são os últimos remanescentes de Zartar, o Império dos Reis-Bruxos. São um povo pequeno, espalhado, sem grandes comunidades, conhecidos por sua arrogância, pele alva, falta de pelos no corpo, e talento para a feitiçaria. Nos tempos de hoje, os membros dessa cultura vivem sob as sombras de sua antiga glória. Alguns ainda possuem grandes posses, ouro, palácios, e algum poder e influência, mas nada comparado ao que seus ancestrais possuíam milhares de anos atrás. Com um número muito reduzido, os Zartarianos sonham em um dia reerguer seu império, mas não conseguem se unir e entrar em acordo sobre como fazer isso e, principalmente, quem iria reinar sobre o mundo.

Origem: Há milhares de anos, os ancestrais desse povo eram pouco mais do que primatas selvagens, até que algo aconteceu que os fez se erguerem e construírem as primeiras cidades de Anttelius. Em pouco tempo os Zartarianos formaram uma grande nação, muito bem organizada, poderosa, acima de qualquer outro povo mortal. Não demorou muito para que um Império se formasse, e essa cultura passasse a dominar todas as outras que encontrava, utilizando de sua mais recente e poderosa arma, a feitiçaria. De que forma os Zartarianos tiveram acesso a essa arte, seja por entidades de outros planos ou do Abismo Infinito, ninguém sabe ao certo, mas muitos especulam. O poderio de Zartar, o Império dos Reis-Bruxos, perdurou gerações, mas um cataclisma o fez ruir. Não há registros sobre o que realmente ocorreu, e nem mesmo os poucos Zartarianos que ainda andam por Anttelius se lembram, ou não querem falar a verdade, mas, de uma hora para outra, todo o domínio desse povo foi perdido, e um caos se instalou sobre Arthasia. Demoraria milhares de anos até que uma civilização se erguesse novamente. Hoje, aqueles que restaram, buscam por respostas e pelo passado que perderam, na esperança de um dia alcançarem o poder de seus ancestrais.

Aparência: A fisionomia desse povo é bastante característica. Talvez por terem sido expostos às energias caóticas da feitiçaria por gerações, a pele desses homens e mulheres é invariavelmente alva, muitas vezes permitindo até a visualização de suas veias. Eles não possuem cabelos ou pelos pelo corpo, e possui traços aquilinos, que os dão uma aparência cruel. Em sua maioria são altos e magros, alguns parecendo até cadavéricos. Homens chegam a 1,80m e mulheres até 1,70m, em média. Usam, em sua maioria, roupas de tecidos nobres, de acordo com o costume local de onde vivem, mas em tons mais escuros e sóbrios. Joias e outros adornos de materiais preciosos estão sempre presentes, mas não em excesso.

Costumes: Esse é um povo antigo, com tradições, cultura, e história milenares. São orgulhosos por natureza e, muitas vezes, arrogantes, pois se acham os verdadeiros homens, destinados a reinar sobre todas as outras raças. Os Zartarianos costumam estudar as artes da feitiçaria, necromancia, e outros tipos de magia, pois acreditam que são o povo com o maior potencial para isso. No entanto, outros creem que a ruína de seu povo se deu, justamente, pelo abuso de poder dos Reis-Bruxos, e se afastam desse caminho. A maioria costuma viver entre os homens de outras culturas, muitas vezes ocupando posições de destaque, e se contentam com isso. Alguns indivíduos buscam as ruínas e as escrituras de seus ancestrais na esperança de encontrar algo que possam usar para, quem sabe, reerguer o império de outrora. Muitos ainda são devotos ao Deus X’Zagoth, o deus anfíbio, conhecedor dos segredos do Abismo Infinito, que revelou os segredos da magia negra ao povo e os ajudou a dominar quase o mundo inteiro. A busca de poder, influência, e reconhecimento é algo que costuma atingir todos os Zartarianos, mesmo aqueles que se afastam das suas origens obscuras.

Organização: Sendo um povo que possuiu um império gigantesco, organizado, hierarquizado, e com diversas colônias, é surpreendente que nos tempos atuais os Zartarianos sejam uma cultura que praticamente não possuí qualquer tipo de organização formal. Não há nenhuma comunidade, vila, ou cidade unicamente deste povo. São poucos os indivíduos pertencentes a essa raça antiga, e sua arrogância natural, tanto em relação a seus pares, como em relação aos outros povos, impede que eles multipliquem seus números. Ainda há algumas famílias que mantém as tradições antigas e cultos para X’Zagoth, mas, em sua maioria, são indivíduos isolados, que se encontram ocasionalmente. Ainda, há rumores que homens e mulheres Zartarianos se encontre uma vez a cada dez anos em grandes orgias para perpetuar a sua raça, com participação, inclusive, de entidades do Abismo Infinito.

Reputação: Os Zartarianos são lembrados, principalmente, por seus talentos nas artes da feitiçaria, e pelo seu passado de glória, opressão, e crueldades. Ninguém duvida do potencial que possuem para desvendar os mistérios do universo e controlar as energias caóticas do Abismo Infinito, e isso faz com que muitos os tratem com cautela e até temor. A arrogância característica desses indivíduos também os fazem ter dificuldades ao se relacionar com outras culturas, que já esperam esse tipo de atitude de todos eles.

Idioma: O atual Zartariano é um idioma derivado do Antigo Zartariano, provavelmente a primeira língua falada por homens em Anttelius. Sua pronúncia parece para muitos bastante sibilante, dando a impressão que esse povo tem alguma ligação com serpentes. É uma linguagem bastante complexa e possui dois alfabetos diferentes, um usado mais comumente para registro de fatos, histórias, e outras coisas, e um outro especialmente para textos com ligação às artes da feitiçaria. Estudiosos da Ordem dos Cronistas creditam isso à influência de outros seres pensantes que ajudaram a civilização de Zartar.

Benção: A afinidade desse povo com a feitiçaria está no sangue de cada Zartariano, quer ele queira ou não. Sendo assim, cada um deles tem uma facilidade maior para conjurar feitiços ou mesmo resistir a eles naturalmente. Gastando 1 ponto de Sorte, o jogador pode repetir uma Jogada de Conjuração, ou Jogada de Proteção, relacionada a magia e feitiçaria que ele tenha feito, ficando com o melhor resultado entre as duas. No entanto, ele só pode gastar 1 ponto de Sorte por jogada dessa forma.

Aspectos Sugeridos: Arrogante, Estudioso, Ocultista, Discreto, Manipulador.

E com isso encerra-se a apresentação das culturas (por enquanto, até fazermos culturas extras). O que vocês acharam dos Zartarianos? E das outras etnias? Já, já começamos a trazer as classes, começando pelos Guerreiros, os combatentes mais bem treinados e disciplinados de Anttelius.

Para acessar a página contendo todas as postagens do Bruxos & Bárbaros, clique aqui.

Para baixar o "Jogo Rápido" com regras para começar a jogar imediatamente, clique aqui.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.