terça-feira, 16 de agosto de 2016

Trazendo RPGs (e outros jogos) na sua Mala

Só deu para trazer isso da GENCON...
A GENCON acabou há alguns dias e, como não podia deixar de ser, eu trouxe muitas coisas de lá. Muitos e muitos livros de RPG, alguns Board Games e poucos Card Games. Minha ideia indo para lá foi de comprar o máximo que pudesse para economizar o frete e aproveitar a isenção de 500 dólares vindo de lá. Levei só o necessário de roupa e outras coisas a usei todo o meu limite de bagagem, peso e de dólares para trazer o que eu queria. Quer dizer, na verdade a GENCON é onde você compra mais coisas do que queria, porém menos coisas do que gostaria.

Essa postagem, então, é para tirar algumas dúvidas que vi colegas tendo sobre o que você pode ou não trazer em termos de jogos lá de fora. Como tudo é tributado? O que fazer para não precisar pagar impostos e coisas assim, tudo dentro da lei, até porque sou caxias pra caramba. Os dados e referências utilizados são para viagens internacionais para os Estados Unidos e voltados para compra de jogos de mesa (livros de RPG, Board Games e Card Games).

Trazendo Livros de RPG: Eu gosto de Board Games e Card Games também, mas antes de tudo eu sou um RPGista, e talvez até um consumidor compulsivo de RPGs. Adoro livros e livros de RPG, portanto compro muitos deles, mesmo de RPGs que não estou jogando. Eu tento manter apenas livros de RPGs que eu tenho vontade de jogar e me vejo jogando um dia (mesmo que, de fato, esse dia nunca chegue). Por isso a grande maioria dos jogos que trago lá de fora quando viajo são livros de RPG. Costumo focar em jogos que não consigo fácil pela Amazon ou outros lojas com fretes razoáveis, mas como sou um apaixonado por produção independente e jogos OSR, isso acaba incluindo a maioria das coisas que quero. Mas tudo bem. Livros são IMUNES A IMPOSTOS! Não importa quantos livros você traga de sua viagem, a Receita Federal do Brasil não poderá cobrar um centavo de impostos de você por eles, mesmo se eles vierem em uma caixa. O produto principal da caixa é o livro. O seu único problema trazendo muitos livros é o peso que sua bagagem vai ficar. Livros costumam pesar bastante e, embora a bagagem não parece cheia, ela ficará bem pesada. Para os EUA, tu pode despachar 2 malas de 32 quilogramas cada e, normalmente, levar uma bagagem de mão e uma mochila contigo na cabine. Essa bagagem de mão e mochila não costumam ser pesadas, mas possuem um limite de tamanho, então atenção para o tamanho delas. Além disso, você ainda pode levar um livro na mão como "material de leitura". Então se precisar liberar um espaço e diminuir o peso, pegue seu livro de DCC RPG e leve ele na mão. Eu já fiz isso duas vezes. Agora atenção, se você tiver voo de conexão no Brasil depois de chegar dos EUA, as companhia aéreas daqui aceitam suas bagagens despachadas sem problema, mas só aceitam ou a bagagem de mão ou a mochila, te forçando a despachar uma delas. Isso costuma acarretar em excesso de bagagem. Se puder, pegue sempre um voo direto.

Trazendo Board Games e Card Games: Vou tratar essas duas categorias como uma só, já que as mesmas regras se aplicam a ambas. Primeiramente, Board Games e Card Games contam para o seu limite de 500 dólares de compras! Se, em conjunto com outras compras que não sejam itens de uso pessoal e necessário para a viagem, o valor deles somados passar de 500 dólares, você precisará PAGAR IMPOSTOS sobre o que exceder (50% do valor excedente). Ou seja, livros você trazer à vontade, outros jogos de mesa já são outra história. Inclua nisto também dados de RPG, ok? Em compensação, as caixas desses jogos apesar de grandes não costumam pesar tanto quanto livros, assim dá para fazer um equilíbrio entre livros e caixas de Board Games e Card Games. Quanto aos demais limites de bagagem e peso das malas, vale as mesmas regras que as com livros.

Em geral, trazer jogos de mesa do exterior é bem simples. O problema maior está no peso que eles tem. As autoridades alfandegárias estão mais preocupadas com que traz eletrônicos, computadores e outras coisas mais caras. Nosso hobby não chama tanta atenção e a maioria dos itens não paga imposto de qualquer forma. Então, meu conselho é "compre coisas difíceis de chegar por aqui" e aproveite promoções e sebos para achar coisas antigas e raras. Se for acessível pelo Amazon, é melhor mandar entregar por aqui.

Se você gostou da postagem, visite a página do Pontos de Experiência no Facebook e clique em curtir. Você pode seguir o blog no Twitter também no @diogoxp.